Ferrari Materiais Elétricos

Ferrari Materiais Elétricos Loja de Materiais Èletrico



Ferrari Materiais Elétricos distribuidor de materiais eletrico sorocaba



Ferrari Materiais Elétricos Loja de Materiais Èletrico



Ferrari Materiais Elétricos distribuidor de materiais eletrico sorocaba



Formas de Pagamento
Newsletter
Preencha para receber informações.
Orçamento pelo WhatsApp
Olá! Clique em uma das opções abaixo e nós retornaremos o mais rápido possível.
Notícias

RSS Feed - Notícias - Mantenha-se Informado


26/06 - Abertas inscrições de processo seletivo da FMS com 334 vagas para servidores temporários
As inscrições podem ser feitas, exclusivamente pela internet, de 26 de junho até 15 de julho. Processo seletivo oferta vagas para médicos Rafael Moraes/Divulgação Estão abertas as inscrições do processo seletivo da Fundação Municipal de Saúde (FMS) para contratação temporária de servidores da área administrativa e da saúde. São ofertadas 334 vagas para todos os níveis de escolaridade, com remuneração de R$1.133 a R$ 17.821,47. A seleção visa promover a substituição de profissionais afastados do trabalho por motivos legais, em diversos estabelecimentos de saúde, conforme necessidade da administração. As inscrições podem ser feitas, exclusivamente pela internet, até 15 de julho. A taxa varia de R$ 60 a R$ 150, dependendo do cargo. O processo seletivo será realizado pelo Núcleo de Concursos e Promoção de Eventos (Nucepe), da Universidade Estadual do Piauí (Uespi). As vagas são distribuídas em: médicos (127), odontólogos (10), técnicos de nível superior saúde (57), (8) técnicos de nível superior e (1) assistente técnico nível superior administrativo; assistente técnico de saúde médio (102), assistente técnico administrativo médio (28); auxiliar operacional infraestrutura básico (1). A prova objetiva, de caráter eliminatório e classificatório, será aplicada dia 28 de julho, em Teresina. O processo seletivo tem validade de um ano, podendo ser prorrogado por igual período.
Veja Mais

26/06 - Durante vistoria, MP flagra carnes estragadas e situação insalubre em mercado público de Parnaíba
Representantes da Vigilância Sanitária de Parnaíba e do Conselho Regional de Medicina Veterinária participaram da vistoria. Mercado público de Parnaíba está em situação insalubre. Divulgação/MP-PI Durante vistoria realizada nesta semana no mercado público da Avenida Caramuru, em Parnaíba, o promotor de Justiça Cristiano Faria informou que foram flagradas situações graves de risco à saúde pública, como carnes estragadas e muita sujeira. Um relatório foi solicitado para que o Ministério Público do Piauí tome providências sobre o problema. Além do promotor, representantes da Vigilância Sanitária de Parnaíba e do Conselho Regional de Medicina Veterinária participaram da vistoria. Segundo o promotor, além do mercado da Caramuru, outros mercados públicos e supermercados serão também fiscalizados. “Fomos verificar a situação real do mercado e vimos algo muito grave, de risco à saúde pública mesmo. Tem carnes estragadas, muita sujeira, locais sem recolhimento de lixo, freezeres sujos, bancadas imundas, feirantes tocando na carne com as mãos sem luvas e em seguida pegando no dinheiro. Ou seja, sem nenhuma higiene”, relatou. Mercado público de Parnaíba está em situação insalubre. Divulgação/MP-PI Segundo ele, a responsabilização quanto ao problema pode ser dividida entre os feirantes e a própria Prefeitura de Parnaíba, caso não sejam adotadas providências sobre o problema. O G1 tentou contato com a Prefeitura de Parnaíba, mas até o fechamento da matéria não obteve retorno. “Inicialmente pedimos um relatório para sabermos detalhes do local. Eu não vi banheiros públicos, por exemplo, mas não sei se tem ou não. Precisamos de todas as informações possíveis para saber que providências adotar. Tanto os feirantes podem responder quanto a Prefeitura pode ser responsabilizada se não oferecer a estrutura necessária”, explicou. O promotor disse também que a Vigilância Sanitária informou oferecer cursos gratuitos de fiscalização aos feirantes, mas que muitos não tomam as providências para oferecer produtos e serviços de forma adequada. “Caso persistam, eles podem ter os boxes interditados, porque isso não pode permanecer como está. E vimos que o local está passando por reformas, mas não no setor de açougue e peixaria, então isso também será apurado”, explicou.
Veja Mais

26/06 - Adolescentes são apreendidas suspeitas de envolvimento com tráfico em Belo Horizonte
Polícia Militar está à procura de outros suspeitos. Quatro adolescentes foram apreendidas, na madrugada desta quarta-feira (26), suspeitas de envolvimento com o tráfico de drogas, no Aglomerado da Ventosa, na Região Oeste de Belo Horizonte. No domingo (23), um motorista de aplicativo foi assaltado e sequestrado por quatro homens. A vítima foi levada para um sítio alugado, que fica em Lagoa Santa, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A dupla roubou materiais pessoais como cartões de crédito e tentou fugir com o carro, mas, durante a fuga, eles capotaram o carro e fugiram do local. Segundo a Polícia Militar (PM), uma adolescente solicitou a corrida por um aplicativo. A PM esteve no local e encontrou documentos dos suspeitos no carro. Ao descobrirem o endereço de um deles, os policiais foram ao Aglomerado da Ventosa e encontraram na casa os materiais roubados do motorista e uma adolescente, que estaria envolvida no caso e também com o tráfico de drogas. Ela indicou dois endereços e a PM encontrou outras três adolescentes que também teriam ligação com o sequestro do motorista e com o tráfico. Os outros suspeitos de participar do assalto e sequestro do motorista estão sendo procurados pela polícia.
Veja Mais

26/06 - Polícia Civil faz operação na comunidade do Batan, na Zona Oeste do Rio
A Polícia Civil faz uma operação na comunidade do Batan, em Realengo, na Zona Oeste do Rio, na manhã desta quarta-feira (26). Homens da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) e da Divisão de Homicídios tentam cumprir oito mandados de prisão contra traficantes que atuam na região.
Veja Mais

26/06 - RPC: veja as informações adicionais das reportagens do dia 26/06/2019
O G1 lista os principais destaques dos telejornais da RPC desta quarta-feira (26). Saiba os endereços, telefones e os sites das reportagens exibidas. G1 Paraná Bom Dia Paraná >>> Estão abertas as inscrições para os cursos do Conservatório de MPB de Curitiba. Elas podem ser feitas apenas pela internet, até quinta-feira (27). Para se inscrever, basta acessar o site do Conservatório de MPB. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.
Veja Mais

26/06 - Casal tem carro roubado durante caminhada no Açude Velho, em Campina Grande
Casal havia acabado de chegar no local e estava alongando o corpo para começar a caminhar. Um casal teve o carro roubado no início da manhã desta quarta-feira (26) quando chegava no Açude Velho para praticar atividade física, em Campina Grande. De acordo com as vítimas, que prestaram um boletim de ocorrência na Central de Polícia Civil, os suspeitos estavam armados. Enquanto o casal alongava, três homens apareceram correndo, como se também estivessem praticando exercício. No entanto, um dele se aproximou do casal e pegou a chave da mão do homem, anunciando o roubo do carro. Em seguida, o restante do grupo cercou as vítimas. Eles informaram que usariam o carro e depois devolveriam. O grupo fugiu logo em seguida com o carro. Até as 6h40 nenhum deles havia sido localizado. Casal registrou ocorrência na Central de Polícia Civil de Campina Grande Reprodução/TV Paraíba
Veja Mais

26/06 - ‘Arroz doce Alavantu’ é eleito o melhor prato do 20º Concurso de Culinária Junina da TV Grande Rio
No juri popular, o prêmio ficou com o ‘Mungunzá com frutos do mar’, da cozinheira Maria da Conceição. O prato mais bonito foi a ‘Moranga nordestina’, da cozinheira Márcia Fernandes. O ‘Arroz doce Alavantu’, da cozinheira Sheyla Yallane foi eleito o melhor prato do 20º Concurso de Culinária Junina da TV Grande Rio. Este ano, 16 pratos, sendo seis doces e dez salgados, participaram da disputa. O grande campeão foi escolhido a partir dos votos de cinco jurados especialistas e três do público em geral. O bolo 'Arroz Doce Alavantu'' é de Sheila Yallane Patrícia Pinheiro Além da escolha do melhor prato, o concurso teve outras premiações. No juri popular, o prêmio ficou com o 'Mungunzá com frutos do mar’, da cozinheira Maria da Conceição. O prato mais bonito foi a 'Moranga nordestina’, da cozinheira Márcia Fernandes. Participando desde a primeira edição do Concurso de Culinária Junina da TV Grande Rio, a cozinheira Adalice Ramos foi homenageada no evento. Initial plugin text
Veja Mais

26/06 - Trem do ramal de Belford Roxo, RJ, pega fogo e assusta passageiros; veja imagens
Pane num dos vagões ocorreu na noite de terça-feira, entre as estações de Del Castilho e Jacaré, a caminho da Central. Ninguém ficou ferido. Trem do ramal de Belford Roxo pega fogo após sofrer pane Passageiros de um trem do ramal de Belford Roxo tomaram um susto na noite desta terça-feira (25). O trem que ia para a Central do Brasil sofreu uma pane e um dos vagões pegou fogo entre as estações de Del Castilho e Jacaré, na Zona Norte do Rio. Moradores filmaram o incêndio. Ninguém ficou ferido.
Veja Mais

26/06 - Festa junina solidária busca arrecadar recursos para auxiliar pacientes do interior do AP
Arraiá da Casa de Apoio Nosso Lar será na sexta-feira (28), em Macapá. Espaço, que se sustenta através de doações, ajuda pessoas carentes durante tratamento fora de casa. Festa junina solidária busca arrecadar recursos para auxiliar pacientes do interior do AP em casa de apoio Edson Taciano Será na sexta-feira (28) o 1° edição do Forrozão Solidário da Casa de Apoio Nosso Lar. A entrada é gratuita. O espaço funciona há pouco mais de um ano dando apoio, com estadia, alimentação, encaminhamentos médicos e exames a pessoas carentes que se encontram doentes e precisam passar por tratamento prolongado em Macapá. O “arraiá” vai iniciar às 19h30 no prédio da Casa de Apoio, que fica na Avenida Ernestino Borges, 186, bairro Julião Ramos, ao lado da Caesa. Todo o dinheiro arrecadado será revertido à manutenção do lugar, que funciona por meio de doações. A organização adianta: o forrozão terá o melhor das festividades juninas, com brincadeiras tradicionais como prisão, correio do amor, apresentação de quadrilhas e bingo com mais de 20 premiações. Além disso, haverá venda de comidas típicas da época, a preços populares. Tudo para dar suporte a quem mais precisa. “Recebemos pacientes do interior do Amapá, como Oiapoque, Laranjal do Jari, Vitória do Jari e outros, que necessitam de tratamento de saúde prolongado na capital e não têm familiares e nem recurso financeiro para ficar em hotel ou pousada. Eles contribuem com diária de R$ 10 e têm direito às três principais refeições do dia, fora todo o atendimento médico que a casa oferta”, explica Amanda Bastos, coordenadora financeira da casa. Casa de apoio “Nosso Lar” fica na Avenida Ernestino Borges, 186, bairro Julião Ramos, ao lado da Caesa Jorge Abreu/G1 Atualmente, mais de 25 pessoas são atendidas por dia na Casa de Apoio Nosso Lar. A instituição não tem convênios com a rede pública e todos os recurso são provenientes de doações. O espaço disponibiliza serviço médico, exames de ultrassonografia e laboratoriais para a comunidade em geral. A casa surgiu da parceria da Associação Amapaense de Apoio aos Pacientes em Tratamento Fora do Domicílio (ASPTFD) e da organização não-governamental Amigos Pela Vida. Serviço Forrozão Solidário da Casa de Apoio Nosso Lar Data: 28 de junho (sexta-feira) Hora: 19h30 Local: prédio da Casa de Apoio Nosso Lar Endereço: Avenida Ernestino Borges, 186, bairro Julião Ramos, ao lado da Caesa Entrada: gratuita Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
Veja Mais

26/06 - VÍDEOS: JM de quarta-feira, 26 de junho
Assista aos vídeos do telejornal com as notícias da Bahia. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias da Bahia.
Veja Mais

26/06 - VÍDEOS: Bom Dia Goiás desta quarta-feira, 26 de junho de 2019
Veja Mais

26/06 - Pesquisa aponta que 22% dos macapaenses dirige usando o celular; multa é de R$ 293
O percentual fica acima da média nacional, fixada em 19,5%. Dados foram coletados pelo Ministério da Saúde em 2018. Motorista usa celular no trânsito Reprodução/TV Globo Infração gravíssima com multa de R$ 293, o uso de celular durante a direção de veículo é mais comum do que se imagina em Macapá. Em 2018, segundo o Ministério da Saúde, 22,3% dos motoristas da capital admitiram o uso do aparelho ao volante. O percentual fica acima da média nacional, fixada em 19,5%. Os dados do Governo Federal foram obtidos a partir do Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel). 1 em cada 5 motoristas no Brasil admite uso do celular ao dirigir Até 2016, dirigir usando o celular era uma infração média, mas a quantidade de acidentes levou à alteração do Código de Trânsito Brasileiro e agora a infração é gravíssima. O descumprimento da norma representa perda de sete pontos na carteira e multa de R$ 293,47. Em média, 22% dos motoristas admitem dirigir com o uso de celular ao volante De acordo com o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), usar celular enquanto dirige aumenta em 400% o risco de acidentes. Digitar mensagem reduz muito o tempo de reação. Os dados do Ministério da Saúde colocam Macapá na sétima posição entre as capitais brasileiras, a quarta maior taxa do Norte do país, atrás de Belém (24,1%), Rio Branco (24%) e Palmas (22,4%). Para obter o resultado, o órgão federal entrevistou em todo o Brasil 52.395 pessoas maiores de 18 anos. A coleta dos dados aconteceu entre fevereiro e dezembro do ano passado. Fiscalização Para identificar, alertar e reduzir o uso de celular ao volante, Macapá conta com 20 câmeras de monitoramento eletrônico do trânsito da capital (confira pontos vigiados). A movimentação nos cruzamentos é monitorada pela Companhia de Trânsito e Transporte (CTMac). Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
Veja Mais

26/06 - Evento oferece ações gratuitas de saúde e conscientiza sobre direitos da pessoa idosa no Recife
Ação é realizada nesta quarta-feira (25), na Praça do Derby, no Centro da cidade. Unidade móvel Delegacia de Proteção à Pessoa Idosa recebe denúncias no local. Evento é realizado na Praça do Derby, no Centro do Recife Reprodução/Google Street View A Praça do Derby, no Centro do Recife, recebe uma série de ações de conscientização sobre os direitos da pessoa idosa nesta quarta-feira (26). A partir das 7h, também são oferecidos, gratuitamente, serviços de saúde no local. Entre os serviços disponibilizados no evento, estão aferição da pressão arterial, de glicemia e vacinação contra a gripe, além de orientações sobre saúde bucal. Na ocasião, uma unidade móvel da Delegacia de Proteção à Pessoa Idosa incentiva as denúncias de violações dos direitos dos idosos e violência. De acordo com o Centro Integrado de Atenção e Prevenção à Violência Contra a Pessoa Idosa (Ciappi), no primeiro semestre de 2019, houve 1.301 ocorrências enquanto, nos 12 meses do ano passado, foram 1.151 casos. Os casos podem ser denunciados ao Ciappi por meio do telefone (81) 3182.7649, pelo e-mail ciappi2016@gmail.com ou na sede do órgão, localizado na Rua Santo Elias, 535, no bairro do Espinheiro, Zona Norte do Recife. A Ouvidoria Social também é um canal para recebimento de denúncias, que podem ser feitas no 0800.081.4421. A ligação é gratuita.
Veja Mais

26/06 - Bandas do DF lideradas por mulheres se apresentam no projeto 'Noite Torta'
Ideia é trazer à tona bandas com som alternativo. Ingressos custam entre R$15 e R$25. Uma noite que “entorte a vida das pessoas, que seja diferente”. É assim que a idealizadora do projeto “Noite Torta”, Sara Mariano, brinca sobre a noite de shows que ocorre na Cervejaria Criolina na próxima quinta-feira (27), a partir das 20h. Os ingressos antecipados custam R$15 e na hora, R$25. Segundo a idealizadora, o evento traz apresentações de três bandas lideradas por mulheres “com perfil forte, explosivas, e por músicos experientes e competentes que lutam para conquistar seu espaço na cena da música brasiliense”. Bando de Sara Nathalia Britto Integrantes Uma das atrações da noite é o Bando de Sara (veja vídeo), formado por Sara Mariano (vocal), Jota Dale (guitarra), Vavá Afiouni (baixo) e Luppa Marques (bateria). Haynna & Os Verdes Thaís Mallon Se apresentam também a banda Haynna & Os Verdes, composta por Haynna (vocal), Michele Cardoso (guitarra), Daniela Vieira (teclado), Jhonata Morais (bateria) e Rian Sodré (baixo). Por fim, o Talo de Mamona trará ao evento os músicos Julia Carvalho (voz), André Arraes (baixo), Felipe Fiuza (percussão), Tiago Moria (violão e voz), Otto Moraes (bateria) e Vanderlei Costa (performance e poesia). Som dissonante “Noite Torta”, é uma brincadeira com fundo de verdade. “São bandas mais alternativas, e brincamos que trazem uma dissonância, uma tortuosidade no som. Queremos dizer que não é uma apresentação cotidiana, mas com aspecto diferente, que entorte a vida das pessoas, que tire do eixo”, explica Sara Mariano. Talo de Mamona Bento Viana Segundo a idealizadora, o "Noite Torta" pretende dar voz a artistas locais "apagados pela própria cena cultural, pela política e pela disseminação cultural". “A gente precisa de apoio, apoio da mídia e da própria população, que só assiste bandas que estão sendo divulgadas de forma muito efusiva.” Programe-se Noite Torta Local: Cervejaria Criolina - SOF Sul Quadra 1 conjunto B lt. 6 Data: 27/06/2019 (quinta-feira) Classificação: 18 anos Horário: 20h Preços: R$ 15 (antecipado) e R$ 25 (na hora), no site do Sympla Veja o que fazer em Brasília no G1 DF.
Veja Mais

26/06 - Grafiteiro de Brasília é selecionado para evento mundial de arte urbana na Dinamarca
Ramon Phanton, de 30 anos, é um dos 50 artistas do mundo escolhidos. Veja outros grafiteiros do DF que já passaram pelo festival. O Brasil terá um representante na próxima edição do festival mundial de arte urbana "Meeting of styles" na Dinamarca. O evento é considerado um dos mais expressivos do ramo e uma importante plataforma de intercâmbio. O grafiteiro e estudante de Artes Visuais da Universidade de Brasília (UnB) Ramon Phanton, de 30 anos, foi selecionado para exibir os trabalhos em Copenhague, entre os dias 19 e 21 de julho, ao lado de 50 artistas do mundo todo. Outros nomes do Distrito Federal, como Toys, Omik, Mudof e Soneka, já deixaram as marcas no festival (saiba mais ao final). O grafiteiro Ramon Phanton, de Luziânia, Entorno do DF Phanton/Arquivo pessoal Esta será a primeira vez de Phanton no "Meeting" e, para conseguir viabilizar a viagem internacional, o grafiteiro está vendendo camisas com desenhos dele. O artista já havia se inscrito outras três vezes no festival. "O 'Meeting' é um dos eventos de maior renome do cenário das artes urbanas. Ano passado consegui participar de um no Chile e é uma experiência única. Ver como a cena do grafite funciona em outras cidades do mundo." "É um ganho na bagagem cultural, com novas referências. E ainda abre um leque de oportunidades para desenvolver o meu trabalho." O grafiteiro Ramon Phanton, de Luziânia, Entorno do DF Divulgação Phanton trabalha profissionalmente com grafite há quatro anos, mas começou a se aventurar com as latas de spray há seis. Morador de Luziânia, no Entorno do DF, ele se juntou a dois amigos que também desenvolviam o próprio traço: Raquel Bralo e Alex Ollie. "Comecei a pintar bueiros, que era uma referência que a gente tinha de trabalhos desenvolvidos em São Paulo. Depois, fomos para os muros e foram surgindo oportunidades de pintar em outras superfícies, como fachadas de casas", disse ao G1. Pintura em bueiro d grafiteiro Ramon Phanton, de Luziânia, Entorno do DF Phanton/Arquivo pessoal Hoje, Phanton chegou à estética própria, mas diz que o trabalho está em constante evolução. "Meu trabalho é a junção dos fragmentos da minha própria caminhada, com elementos que estão presentes desde o início, mas em outro formato." No ano passado, por exemplo, os personagens de desenhos animados que ainda habitam o imaginário do artista dominavam os grafites. Agora, predominam os pássaros e a escrita urbana. Pintura em mural do grafiteiro Ramon Phanton, de Luziânia, Entorno do DF Phanton/Arquivo pessoal De Brasília pro mundo Esta não é a primeira vez que o Distrito Federal leva representantes ao "Meeting of styles". Em edições passadas, nomes como Toys, Omik, Mudof e Soneka passaram pelo evento. Com cinco participações na bagagem, Soneka esteve em três edições no Brasil, em uma na Itália e em outra na Alemanha entre 2014 e 2016. No primeiro ano, quando o evento aconteceu em Porto Alegre, o grafiteiro chegou a assinar o cartaz de divulgação (veja abaixo). Cartaz de divulgação do "Meeting of styles" de 2014 no Brasil, assinado pelo grafiteiro Soneka, do DF Meeting of styles/Divulgação "É um evento que abre portas para uma galera. Todo ano tem um catálogo: ele começa na Ásia, Europa, América Central e, por último, pra América do Sul. Isso gera uma conexão cultural e artística muito forte." "Você vê um russo, chileno, peruano, alemão, francês, todo mundo junto. Isso agrega muito à sua pintura." Grafiteiros participantes da edição de 2017 no Rio grande do Sul do festival internacional "Meeting of styles" Racor Imagens/Divulgação Em junho, Soneka participa do "Urban Giants" em Milão, um evento que nasceu do "Meeting" e reúne grandes nomes da arte urbana mundial. Depois, ele segue para a Suíça e encerra o "tour" pela Europa em um festival de música na França. Amigos pelo mundo Grafiteiros Omik e Toys participam da Batalha "Beat Double Art" no Eixão do Lazer, em Brasília Bruno Aguiar/Divulgação No ano passado, os amigos e parceiros de trabalho Toys e Omik representaram a capital no "Meeting of styles" que ocorreu em Santiago, no Chile. Os dois grafitaram a parede lateral de um prédio junto com a artista chilena Luma Lee. A dupla brasiliense tem murais espalhados pelas principais capitais do Brasil e em países como Argentina, Portugal, Alemanha, França e Reino Unido. De junho a setembro, os grafiteiros fazem um tour artístico pela Europa. Mural de Toys e Omik, em parceria com a chilena Luma Lee, em um prédio em Santiago, no Chile Toys/Arquivo pessoal Nesta quarta (26), Toys e Omik desembarcam em Hamburgo, na Alemanha, para participar do festival Millerntor Gallery, em prol da preservação e do consumo consciente de água no mundo. Em agosto, os grafiteiros seguem para a Espanha, onde vão participar do festival Art Aero Rap na cidade de La Bañeza. E, para fechar a viagem, em setembro eles expõem os grafites na França, no Projet Saato, em La Défense. Grafite feito por Toys e Omik, artistas do Distrito Federal, em 2018 em Paris Toys/Arquivo pessoal 'Meeting of styles' O "Meeting of styles" nasceu em 2002 e, desde então, passou por cerca de 25 países com mais de 250 edições. No Brasil, fez sete edições desde 2009, que percorreram São Bernardo do Campo (SP), Rio de Janeiro e diferentes cidades do Rio Grande do Sul, entre 2014 e 2018. Na última edição em terras brasileiras, o "Meeting of styles" ocorreu em Pelotas (veja vídeo abaixo). A participação no festival se dá por meio de inscrição, mas somente os artistas aprovados pela curadoria, efetivamente, ganham uma vaga. Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.
Veja Mais

26/06 - Confira as vagas do SineBahia para esta quarta-feira; oportunidades são para Salvador e interior
Para consultar oportunidades, trabalhador deve comparecer à unidade do seu município. SineBahia oferece vagas de estágio para operador de telemarketing, em Salvador Fabio Tito/G1 O SineBahia divulgou as vagas de emprego disponíveis para quarta-feira (26), em Salvador e interior do estado. Além da capital baiana, há oportunidades em Jequié, Ilhéus e Itabuna. Os interessados devem se apresentar a uma unidade do órgão com carteira de trabalho, RG, CPF, comprovante de residência e certificado de escolaridade e laudo médico (PCD). O SineBahia informa que as vagas divulgadas são apenas algumas entre as disponíveis. Para consultar a lista completa, o trabalhador deve comparecer à unidade do seu município. Vagas exclusivas para Salvador AUXILIAR DE CONTABILIDADE (ESTÁGIO) Ensino Superior incompleto em Ciências Contábeis – Entre o 3° e 6º sem. Bolsa Estágio R$ 600,00 + Benefícios 01 VAGA OPERADOR DE TELEMARKETING ATIVO (ESTÁGIO) Ensino Superior incompleto em Ciências Contábeis, ADM, RH, Gestão Comercial ou Comunicação - A partir do 1º sem. Bolsa Estágio R$ 500,00 + Benefícios 03 VAGAS AUXILIAR FINANCEIRO Ensino Superior incompleto em Ciências Contábeis, ADM, Economia ou afins - A partir do 2º sem. Experiência mínima de 06 meses na função Obrigatório possuir vivência com contas a pagar/receber, fluxo de caixa, DRE e análise de relatórios financeiros, além de conhecimento intermediário do pacote Office 01 VAGA AUXILIAR DE PIZZAIOLO Ensino Médio incompleto Experiência mínima de 06 meses na função Obrigatório possuir vivência na área 01 VAGA AUXILIAR TÉCNICO DE REFRIGERAÇÃO Ensino Médio completo Experiência mínima de 06 meses na função Obrigatório possuir veículo próprio e vivência na área de refrigeração 03 VAGAS CHEFE DE SERVIÇO DE LIMPEZA Ensino Médio completo Experiência mínima de 06 meses na carteira Obrigatório residir no bairro Suburbana Salário R$ 1.150,08 + Benefícios 01 VAGA INSTALADOR DE SISTEMAS ELETROELETRÔNICOS DE SEGURANÇA Ensino Médio completo Experiência mínima de 06 meses na função Desejável: Curso Técnico de CFTV, Controle de Acesso e Sistemas de Segurança Eletrônica Salário R$ 1.144,00 + Benefícios 03 VAGAS INSTALADOR DE SOM E ACESSÓRIOS DE VEÍCULOS Ensino Médio completo Experiência mínima de 06 meses na função Obrigatório possuir vivência na área 01 VAGA VENDEDOR INTERNO Ensino Superior incompleto em Gestão Comercial, ADM ou afins - A partir do 2º sem. Experiência mínima de 06 meses na carteira Obrigatório possuir vivência com vendas e conhecimento intermediário no pacote Office 01 VAGA REPRESENTANTE COMERCIAL AUTÔNOMO Ensino Médio completo Experiência mínima de 06 meses na carteira Obrigatório possuir vivência com vendas e disponibilidade para atividades externas 05 VAGAS REPRESENTANTE COMERCIAL AUTÔNOMO Ensino Médio completo Experiência mínima de 06 meses na carteira Obrigatório residir nos bairros de Itapuã, São Cristóvão ou em Lauro de Freitas, possuir vivência com vendas externas, CNH ‘A’ ou ‘B’, veículo próprio, disponibilidade de horário e registro ou disponibilidade para inscrição CORE 01 VAGA Vagas EXCLUSIVAS para UNIDADE CENTRAL de Salvador END.: Av. ACM, 3359 – Cond. Torres do Iguatemi. Funcionamento de segunda a sexta, das 7h as 17h. ANALISTA DE SISTEMAS/INFORMÁTICA Ensino Superior incompleto em Análise de Sistemas, Gestão da Informação ou afins – A partir do 3º sem. Experiência mínima de 06 meses na carteira 01 VAGA AUXILIAR DE ESTOQUE Ensino Médio completo Experiência mínima de 06 meses na carteira Obrigatório possuir vivência com material de construção 01 VAGA Vagas exclusivas para Jequié AUXILIAR DE LINHA DE PRODUÇÃO (PCD) Exclusiva para Pessoas com Deficiência Ensino Fundamental incompleto Não exige experiência 15 VAGAS CONSULTOR DE VENDAS Ensino Médio completo Experiência mínima de 06 meses na carteira 01 VAGA VENDEDOR INTERNO Ensino Médio completo Experiência mínima de 06 meses na carteira 01 VAGA MOTORISTA CARRETEIRO Ensino Médio completo Experiência mínima de 06 meses na carteira Obrigatório possuir CNH ‘E’, curso MOPP e disponibilidade para viagem 05 VAGAS Vagas exclusivas para Ilhéus AUXILIAR ADMINISTRATIVO Ensino Médio completo Experiência mínima de 06 meses na carteira Obrigatório possuir conhecimento na área de departamento pessoal e em informática 01 VAGA ELETRICISTA DE AUTOMÓVEIS/ MECÂNICO ELETRICISTA Ensino Fundamental completo Experiência na função Desejável: CNH ‘A/B’ 01 VAGA VENDEDOR INTERNO Ensino Médio completo Experiência mínima de 06 meses na carteira Obrigatório possuir informática básica e conhecimento com vendas de móveis 01 VAGA AGENTE DE MICROCRÉDITO Ensino Médio completo Experiência mínima de 06 meses na função Obrigatório possuir conhecimento na área bancária, informática básica e residir próximo ao bairro Malhado 01 VAGA PETISQUEIRA Ensino Médio incompleto Experiência mínima de 06 meses na função - Apresentar carta de referência 01 VAGA COZINHEIRO DE RESTAURANTE Ensino Fundamental completo Experiência na função - Apresentar carta de referência Obrigatório residir próximo ao bairro Malhado 01 VAGA PIZZAIOLO Ensino Fundamental completo Experiência na função - Apresentar carta de referência Obrigatório residir próximo ao Centro de Ilhéus 01 VAGA AUXILIAR DE CARREGAMENTO Ensino Médio completo Experiência mínima de 06 meses na carteira Obrigatório possuir curso NR-35 atualizado 01 VAGA GARÇONETE Ensino Fundamental completo Experiência mínima de 06 meses na carteira – Apresentar carta de referência Obrigatório residir próximo ao Centro de Ilhéus 01 VAGA TÉCNICO AGRÍCOLA Ensino Técnico completo em Agrícola ou Agropecuária Obrigatório possuir CNH ‘A’ 01 VAGA Vagas exclusivas para Itabuna OPERADOR DE TELEMARKETING (PCD) Exclusiva para Pessoas com Deficiência Ensino Médio completo Não exige experiência 05 VAGAS VENDEDOR PRACISTA Ensino Médio completo Obrigatório possuir experiência com vendas 10 VAGAS VENDEDOR PRACISTA Ensino Médio completo Experiência mínima de 06 meses na carteira Obrigatório possuir CNH ‘B’, carro próprio e disponibilidade para viajar 01 VAGA GERENTE DE LOJA Ensino Médio completo Experiência mínima de 06 meses na carteira Obrigatório possuir vivência como gestor de loja no segmento de telefonia 01 VAGA TÉCNICO EM REFRIGERAÇÃO Ensino Fundamental completo Experiência mínima de 06 meses na função Obrigatório possuir curso de Refrigeração e CNH ‘A/B’ 01 VAGA LIXADOR Ensino Fundamental completo Experiência mínima de 06 meses na carteira 10 VAGAS ELETRICISTA INDUSTRIAL Ensino Médio completo Experiência mínima de 06 meses na carteira 02 VAGAS ENCANADOR INDUSTRIAL Ensino Médio completo Experiência mínima de 06 meses na carteira 02 VAGAS ENCANADOR PREDIAL Ensino Médio completo Experiência mínima de 06 meses na carteira 02 VAGAS CARPINTEIRO Ensino Fundamental incompleto Experiência mínima de 06 meses na função 02 VAGAS BETONEIRO Ensino Fundamental completo Experiência mínima de 06 meses na carteira 02 VAGAS MONTADOR DE ANDAIME Ensino Fundamental completo Experiência mínima de 06 meses na carteira 02 VAGAS CALDEIREIRO (CHAPAS DE FERRO E AÇO) Ensino Fundamental completo Experiência mínima de 06 meses na carteira 02 VAGAS
Veja Mais

26/06 - PM descobre desmanche de veículos em Belo Horizonte
Erli Francisco, de 65 anos, se identificou como dono da loja e disse que lá funcionava um ferro-velho, mas não apresentou notas fiscais. Ele foi preso. A Polícia Militar (PM) descobriu um desmanche de veículos em Belo Horizonte depois de receber uma denúncia anônima. Um suspeito foi preso. O imóvel fica na Via 240, na altura do bairro Guarani, na Região Norte de Belo Horizonte. Placas sinalizavam uma loja de autopeças. Os militares encontraram uma grande variedade de peças e um carro com várias partes soltas. Ainda de acordo com a polícia, Erli Francisco, de 65 anos, se identificou como dono da loja e disse que lá funcionava um ferro-velho, mas não apresentou notas fiscais. Ele foi preso. Erli já tem passagem pela polícia por receptação. Todo o material encontrado foi apreendido. A reportagem não conseguiu contato com a defesa de Erli Francisco, preso durante a ocorrência.
Veja Mais

26/06 - Incêndio danifica teto e objetos de loja que vende pneus, em João Pessoa
Incidente não deixou feridos. Corpo de Bombeiros suspeita de uma sobrecarga de energia. Corpo de Bombeiros conseguiu conter as chamas e incidente não deixou feridos Reprodução/TV Cabo Branco Um incêndio danificou o teto e alguns objetos de uma loja que vende pneus e oferece serviços de oficina para carros, na Avenida Epitácio Pessoa, em João Pessoa, na noite desta terça-feira (25). O Corpo de Bombeiros conseguiu conter a chamar, mas sem evitar alguns danos materiais. No entanto, não houve feridos. De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, a equipe chegou ao local após receber a informação de que havia muito fumaça saindo da loja, que estava fechada. O incêndio foi controlado e o dono do estabelecimento, que estava dentro da loja, foi retirado pelos bombeiros. Foi feito o trabalho de prevenção pelo Corpo de Bombeiros, que isolou as chamar e impediram que o incêndio de se propagar para os pneus e causar um prejuízo maior. Pelo entendimento dos bombeiros, tudo indica que o que causou as chamas foi uma sobrecarga de energia, já que todo o fio ficou queimado. No entanto, apenas o serviço de perícia vai poder afirmar o que de fato provocou o incêndio.
Veja Mais

26/06 - Número de venezuelanos fora do país deve chegar a 5 milhões
Mesmo que haja uma solução política rápida na Venezuela, imigrantes levarão cerca de 2 anos para voltar ao seu país, afirma responsável da ONU pela situação. Grupo de 99 venezuelanos chega a Dourados (MS) no começo deste ano Danúbia Braga/TV Morena Até o fim deste ano, 1 milhão a mais de venezuelanos deve sair do país por causa da crise econômica e política. A estimativa é de Eduardo Stein, representante da agência de refugiados da ONU, a Acnur, para os refugiados e imigrantes venezuelanos. Eduardo Stein, representante da ONU para refugiados e imigrantes venezuelanos Daniel Muñoz/AFP/Arquivo Cerca de 4 milhões já abandonaram a Venezuela, de acordo com dados da entidade. "Chegou-se ao número de 4 milhões há cerca de três semanas. A nossa projeção é que serão cerca de 5 milhões até o fim de 2019. Há uma média de 5.000 venezuelanos que partem diariamente", diz Stein. Venezuelanos com HIV enfrentam crise Colapso na Venezuela é crise de refugiados, diz ONU Pela estimativa da ONU, a Venezuela tinha 30 milhões de habitantes em 2015 e, hoje, tem 28,5 milhões. Há oscilação do fluxo de acordo com mudanças da política da Venezuela ou de outros países. Quando a fronteira com o Brasil foi reaberta, houve um aumento, mas depois alguns dias, a média voltou a 5.000 por dia, segundo ele. Mesmo que se chegue a uma solução política para a Venezuela, os cerca de 5 milhões que devem sair do país vão levar cerca de dois anos para voltar. Isso porque a velocidade da volta é menor que a da saída. "Digo isso com base em movimentos semelhantes que já aconteceram em outras partes do mundo: para retornar, as pessoas querem garantias de estabilidade e respeito a direitos humanos, além de acesso a serviços básicos, empregos e renda", afirma ele. Brasil tem forma centralizada e sofisticada de receber, diz autoridade Em agosto de 2018, brasileiros destruíram acampamentos de imigrantes venezuelanos na cidade de Pacaraima, em Roraima, por acreditarem que um comerciante tinha sido atacado pelos estrangeiros. Imigrantes venezuelanos embarcam em avião com destino a São Paulo, em janeiro de 2019 Operação Acolhida/Exército Brasileiro Após esse incidente, a forma como o governo brasileiro passou a receber os refugiados mudou, e hoje é uma das mais sofisticadas, segundo Stein. "Os venezuelanos são registrados, ganham atendimento de saúde, têm comida e abrigo. Depois, há programas para tirá-los de perto das fronteiras e levá-los a outras regiões. Há pesquisas para entender qual parte do país tem mais capacidade para receber", afirmou. Isso não mudou com o governo de Jair Bolsonaro, de acordo com o represente. Esses mecanismos acontecem de forma centralizada, coordenados pelo governo federal, afirma ele. Os dados da ONU apontam que o Brasil tem o sexto maior contingente de venezuelanos fora de seu país. São cerca de 168 mil pessoas que vieram para cá. Guilherme Gomes/G1 Perguntado se o Brasil poderia fazer mais para atender as vítimas da crise do país vizinho, Stein afirmou que quem ocupa o cargo dele não pode fazer comentários sobre as politicas de cada país. "Os governos dos países que recebem estão preocupados com as consequências da onda de venezuelanos. Sobre a capacidade brasileira para aumentar as opções para receber, nós não somos autorizados a nos envolver em aspectos políticos", afirmou. Países sul-americanos aceitam venezuelanos com documentos expirados O Peru, o país que recebeu o segundo maior contingente, baixou uma regra que exige passaporte e visto dos venezuelanos que vão para lá. Stein afirma que o governo da Venezuela não tem mais emitido documentos, e que não há forma de consegui-los. A norma, no entanto, não tem sido reforçada, de acordo com o Stein, que elogia a flexibilidade de países sul-americanos, que tem aceitado documentos com validade expirada.
Veja Mais

26/06 - Imagens mostram abordagem de criminosos em assalto que terminou em tiroteio em São Cristóvão, no Rio
Homem foi atingido de raspão na cabeça. Policiais que estiveram no hospital disseram que ele está lúcido e passa bem. Um dos criminosos foi preso no pátio de uma escola próxima. Homem é baleado durante assalto em São Cristóvão Imagens mostram a abordagem dos criminosos no assalto a uma loja de departamentos em São Cristóvão, na Zona Norte do Rio, na noite de terça-feira (25). Os suspeitos foram presos. Um deles estava escondido em um colégio estadual. Um homem foi baleado de raspão na cabeça. A vítima, identificada como Clovercir Ribeiro Dias, que estava dentro de um bar, foi atingida e levada para o Hospital Souza Aguiar, no Centro. Os policiais que estiveram no hospital disseram que ele está lúcido e passa bem. O assalto aconteceu por volta das 19h. Dois criminosos em uma moto renderam o segurança de uma loja vizinha e o levaram até o estabelecimento, que fica na Rua São Luiz Gonzaga. A polícia foi acionada e houve perseguição. Um dos criminosos foi baleado na fuga e, mesmo ferido, entrou em uma kombi que passava na hora. Ele foi preso pouco depois. O outro homem correu até o Colégio Estadual Olavo Bilac e se escondeu atrás de uma árvore no pátio da escola, mas também foi detido. Estudantes estavam em aula no momento da invasão. Com eles, a polícia recuperou sete celulares roubados, além do revólver e da moto usada no assalto. Funcionários e o dono da kombi prestaram depoimento durante a madrugada.
Veja Mais

26/06 - Dono de parque de diversão é morto em rodovia estadual quando voltava para casa
Ele estava acompanhado de três funcionários. No início da noite desta terça-feira (26), um homem de 52 anos foi assassinado a tiros na rodovia estadual no Povoado Colônia Treze, município de Lagarto (SE). O caso foi registrado pela Polícia Militar de Boquim. De acordo com a PM, a vítima era dona de um parque de diversão que foi desmontado em Boquim e estava a caminho de Lagarto, onde a vítima morava. O homem dirigia um veículo de passeio quando dois suspeitos se aproximaram em uma motocicleta e fizeram os disparam. No veículo estavam outros três funcionários que não foram atingidos. O caso será investigado pela Polícia Civil de Boquim que está a procura dos suspeitos. Qualquer informação pode ser passada através do 181. O sigilo é garantido.
Veja Mais

26/06 - Aeroportos do Ceará vão receber 570 voos extras na alta estação
Fortaleza, Jericoacoara e Juazeiro do Norte terão acréscimo de viagens a partir do próximo dia 30. Aeroporto de Fortaleza receberá mais de 180 voos extra durante o mês de julho Agência Diário Os três principais aeroportos do Ceará (Fortaleza, Jericoacoara e Juazeiro do Norte) vão receber juntos 570 voos extras nesta alta estação. A Azul vai acrescentar na sua malha 351 operações de 1º de julho a 4 de agosto. Já a Gol contará com 120 decolagens a mais. E a Latam outros 99 voos, de 30 de junho a 16 de agosto. O Aeroporto Internacional de Fortaleza terá voos extras das três companhias. A Gol disponibilizará 87 operações a mais na capital, com seis voos para Congonhas (SP), 15 para o Galeão (RJ), cinco para Guarulhos (SP), 31 para Goiânia (GO), 17 para Maceió (AL), um para Salvador (BA) e 12 para Campinas (SP). Já a Latam acrescentou 64 voos entre Fortaleza e Brasília e outros 35 entre Fortaleza e Guarulhos. “Nossa operação de alta temporada está focada principalmente nos destinos de lazer que registram aumento de demanda neste período. Realizamos diversas mudanças na nossa malha para proporcionar mais comodidade aos clientes que escolhem a Gol para viajar. Adicionamos voos diretos conectando diferentes cidades, reduzindo o tempo total de viagem e permitindo que o cliente voe sem a necessidade de fazer conexões ou escalas”, afirma Rafael Araújo, diretor de planejamento de malha da Gol. A Latam ainda anunciou recentemente o incremento de cinco novos voos diários no Ceará como contrapartida do acordo de redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o combustível de aviação, firmado com o governo estadual. As novas frequências serão operadas a partir de agosto de 2019, com foco no mercado doméstico brasileiro e na ampliação do volume de chegadas e partidas no Aeroporto Pinto Martins, em Fortaleza. O incremento ampliará de 20 para 25 frequências diárias a operação regular da companhia no estado. Interior e litoral Em Juazeiro do Norte, a Gol informou que vai acrescentar cinco voos entre a cidade do Cariri e Guarulhos. A companhia também afirmou que vai ampliar para 28 decolagens em Jericoacoara com destino ao Aeroporto de Guarulhos por causa da elevada demanda do período de férias, tornando o voo, segundo a empresa, diário na alta estação. A Azul ainda não informou o número de operações extras por aeroporto e nem os destinos atendidos. A aérea é a única que atende quatro aeroportos no Estado, incluindo Fortaleza, Jericoacoara, Juazeiro do Norte e Aracati.
Veja Mais

26/06 - Assista ao Jornal da Manhã
Com Ricardo Ishmael e Camila Oliveira, acompanhe a edição desta quarta (26). Assista ao Jornal da Manhã Com Ricardo Ishmael e Camila Oliveira, acompanhe a edição desta quarta (26).
Veja Mais

26/06 - 79% dos profissionais aceitariam emprego de nível hierárquico inferior ao anterior, diz pesquisa
Especialista mostra quatro pontos que precisam ser avaliados antes de o profissional aceitar um trabalho abaixo da expectativa. Ao avaliar proposta, candidato deve levar em conta também os benefícios e não apenas a remuneração, diz especialista sasasasa O desemprego alto e persistente está levando os profissionais a buscarem a recolocação no mercado de trabalho a qualquer custo, aceitando propostas que podem causar arrependimentos futuros. É o que revela o levantamento realizado pela Catho: 79% dos profissionais entrevistados aceitariam um emprego de nível hierárquico inferior ao último. A pesquisa ainda aponta outras condições que os profissionais aceitariam apenas para conseguir um emprego: 86% trocariam de carreira e área de atuação 73% aceitariam um salário inferior à sua última remuneração Segundo Bianca Machado, gerente sênior de Catho, aceitar as mudanças de área e até de salário pode resultar em outras questões como desmotivação e frustração. A consultora explica que, ao longo do processo de encontrar um emprego, o profissional passa por alterações comportamentais e, a cada etapa, reage de forma diferente, seja na busca, na entrevista, no recebimento da proposta, após a contratação e durante o período de experiência. Assim, ele não avalia criteriosamente as escolhas, pois está motivado a simplesmente estar empregado. "Após esse período, ele começa a pensar sobre as antigas e atuais e expectativas e, logo, isso acaba pesando bastante na decisão, pois o profissional tem convicção que poderia estar melhor empregado. Nesse momento, sentimentos como desmotivação e frustração começam a causar um impacto maior na carreira", afirma. Bianca lista quatro pontos que precisam ser avaliados antes de o profissional aceitar um trabalho abaixo da expectativa. Propósito Você trabalharia em uma empresa do time de futebol adversário ao seu? Parece simples, mas na prática, abrir mão dos próprios valores e propósitos reflete diretamente na carreira profissional. Localização do trabalho x moradia Ter que se deslocar muitas horas preso ao trânsito, metrô, ônibus ou trem. Será que o desgaste físico vale realmente a pena? Às vezes, em um primeiro momento a escolha pode parecer propícia, mas é necessário avaliar em longo prazo quais os impactos que ela trará para a vida pessoal do profissional. Cultura que viabiliza a motivação Uma empresa com um ótimo clima, que oferece férias coletivas, permite flexibilidade de horários e possui creche para os filhos? Seria um sonho. Por vezes, a empresa oferece menos salários e benefícios que o esperado, mas em contrapartida proporciona uma cultura de motivação que faz com que o profissional queira realmente estar ali. Pacote de benefícios Vale-transporte, vale-alimentação, plano de saúde, bônus, auxílio-creche, dentre outros. Muitos são os benefícios que as empresas podem oferecer aos funcionários, permitindo equilíbrio entre o salário (às vezes abaixo de expectativa) e o custo de vida. Na hora de se recolocar, esse é mais um ponto que deve ser avaliado e calculado com atenção.
Veja Mais

26/06 - Prefeitura de São Paulo estuda introduzir ônibus sem cobrador na cidade
Sindicato da categoria pede mais diálogo antes da decisão; segundo a SPTrans, apenas 5% dos passageiros pagam a tarifa em dinheiro. Cobrador de ônibus em São Paulo Reprodução/TV Globo A Prefeitura de São Paulo estuda a implantação de ônibus sem cobrador a partir de setembro. A informação consta em uma carta circular emitida pela empresa responsável pelos coletivos da cidade, a São Paulo Transporte (SPTrans), à qual o G1 teve acesso. O documento número 005/2019, que começou a circular em 11 de junho, recomenda que as empresas donas dos ônibus alterem os desenhos dos coletivos “padron” (veículos com até 15 metros de comprimento) e básicos, buscando eliminar a cadeirinha do cobrador. Só não entram nessa autorização os ônibus articulados ou biarticulados, que têm capacidade para mais passageiros. A cobrança da tarifa seria feita pelos próprios motoristas, assim como atualmente acontece em cerca de 6 mil veículos de linhas do subsistema local (que ligam bairros aos terminais de Metrô). Na cidade de Diadema, por exemplo, os ônibus de toda a cidade já circulam sem cobrador desde o ano de 2017. Circular da SPTrans Reprodução Sindicato O Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo (SPurbanuss), ao tomar conhecimento da circular, procurou a Secretaria Municipal dos Transportes para pedir esclarecimentos. Os representantes da categoria estimam que 20 mil trabalhadores podem ser afetados com essa nova recomendação, e que nem todos têm aptidão para migrar para outras profissões, como a de motorista ou de técnico de manutenção. Os sindicalistas se posicionaram contrários à retirada dos cobradores sem uma conversa ampla e um debate detalhado sobre o tema. "Se não houver discussões, na força não vai rodar. Isso nós podemos assegurar. O sindicato não permitirá que as empresas operem sem o cobrador e sem uma ampla discussão profissional e com os trabalhadores", declarou Francisco Xavier da Silva Filho, secretário-geral do SPurbanuss. A SPTrans, por sua vez, garante que nenhum trabalhador será demitido, afirmando que os profissionais já passam pelo processo de reciclagem. A empresa acrescenta que apenas 5% das tarifas são pagas em dinheiro. Secretaria cria comissão O Secretário Municipal de Mobilidade e Transportes, Edson Caram, criou, por meio de uma portaria publicada no Diário Oficial desta terça (25), uma comissão para debater a requalificação dos cobradores de ônibus. Essa comissão é composta por SPTrans, SPurbanuss, Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo e pela própria pasta. O prazo para a apresentação dos projetos é de 90 dias, contados a partir desta terça. Diário Oficial de São Paulo do dia 25/06/2019 Reprodução/Diário Oficial de SP
Veja Mais

26/06 - Confira a programação dos arraiais no Maranhão nesta quarta-feira
Entre os destaques desta quarta-feira (26) estão as apresentações do grupo Lamparina, do Boi Pirilampo e do Tambor de Crioula Catarina Mina. Confira a lista preparada pelo G1. Programação dos arraiais em São Luís conta com atrações que encantam turistas e maranhenses. Divulgação/Gilson Teixeira Nesta quarta-feira (26) a programação dos arraiais espalhados pelo Maranhão conta com uma programação recheada de atrações que fazem parte da cultura popular do estado durante o São João e encantam turistas e maranhenses. Entre os destaques, estão as apresentações do grupo Lamparina, do Boi Pirilampo, do Tambor de Crioula Catarina Mina e Boi de Pindaré. O G1 listou todas as apresentações dos arraiais, confira abaixo: São Luís Arraial do IPEM – Calhau 19h – Companhia Encantar 20h – Boi Unidos Venceremos 21h – Show Lamparina 22h – Boi Meu Tamarineiro 23h – Boi de Santa Fé Barracão do Forró no Arraial do IPEM 18h – Trio Forró Pegado 19h – Forró do Ló Arraial da Maria Aragão – Centro 19h – Dança do Boiadeiro Gibão de Ouro 20h – Companhia Batuk 21h – Boi de São Simão 22h – Show Viviane Brasil 23h – Boi Encanto do Olho D’Água 00h – Boi União da Baixada 01h – Boi de São José de Ribamar Arraial Largo de Santo Antônio – Centro 19h – Dança Portuguesa Raízes de Portugal 19h30 – Tambor de Crioula Proteção de São Benedito do Anjo da Guarda 20h – Dança Pau de Fita – Comediante Junino Teatral 21h – Show de Tião Carvalho 22h – Boi União da Baixada 23h – Boi de Ribamar 00h – Tambor de Crioula de Mestre Felipe Arraial Tradição da Ilha – João Paulo 19h – Tambor de Crioula Anistelmo 19h30 – Tambor de Crioula Mimo de São Bendito – Maria Luiza 20h – Cacuariá do Lulu 20h30 – Dança Portuguesa Caravela de Portugal 21h – Boi Brilho das Estrelas 22h – Boi Novo Capricho 23h – Boi de Jussatuba 00h – Boi de Apolônio 01h – Boi Renovador da Mata Grande Arraial Comunitário – Liberdade 19h – Tambor de Crioula Arte Nossa Mirim 19h30 – Tambor de Crioula Rojão de São Benedito 20h – Dança Portuguesa Amigos de Lisboa 20h30 – Dança Country Companhia de Dança os Forasteiros Country 21h – Boi Pirilampo 22h – Boi da Mauro Fecury I 23h – Boi Sempre Seremos Unidos 00h – Nilon do Amanhecer 01h – Boi Touro da Ilha de Santana Arraial da Ressurreição – Anjo da Guarda 19h – Tambor de Crioula Catarina Mina 19h30 – Tambor de Crioula de São Benedito do Taim 20h – Boi Oriente 21h – Boi Brilho da Lua de São José 22h – Boi Brilho da Boa Hora do Pacheco 23h – Boi Mimoso de São João de Dona Maria Fita 00h – Boi da Mauro Fecury I 01h – Boi Sempre Seremos Unidos Arraial Comunitário – VIVA Cidade Operária 19h – Tambor de Crioula Manto de Nossa Senhora da Conceição 19h30 – Tambor de Crioula Capricho do Bom Jesus 20h – Boi Mimoso da Apae 21h – Show Maurício Melo 22h – Boi Mimo de São Benedito 23h – Boi Touro da Ilha de Santana 00h – Boi Fruto da Raça 01h – Boi Milagre de São João da Vila Nazaré Arraial Renascer – Anil 19h – Tambor de Crioula da Vila Bacanga 19h30 – Tambor de Crioula Um Canto de Amor a São Luís 20h – Dança Portuguesa Adolescentes de Portugal 20h30 – Quadrilha Juventude Esperança 21h – Boi Mocidade Axixaense 22h – Boi Unidos Venceremos 23h – Boi de São Simão 00h – Boi Unidos do Coqueiro 01h – Boi de Pindaré Arraial Movimento e Solidariedade – João de Deus 19h – Culto 20h – Boi Brilho da Boa Hora dos Pachecos 21h – Boi de Apolônio 22h – Boi Proteção de São João do Anjo da Guarda 23h – Boi Mocidade Axixaense 00h – Boi Novo Capricho 01h – Boi Rosa de Saron Paço do Lumiar Arraial do Viva Maiobão – bairro Maiobão 20h – Dança Coração Cigano 21h20 – Dança Gleys Country 22h20 – Show Alerrandro Costa 23h20 – Tambor de Crioula do Inaldo 00h30 – Boi Valente da Ilha 01h30 – Forró Desmantelado São José de Ribamar Sede 19h – Dança Portuguesa Magia e Sedução de Portugal 20h – Cacuriá de Dona Babá 21h – Dança Portuguesa Explosão Country 22h – Banda Dois Corações 01h – Boi de Panaquatira Vilas 19h – Dança do Boiadeiro Espora de Prata 20h – Dança Portuguesa Bailado Lusitano 21h – Dança do Boiadeiro Gibão de Couro 22h – Patrick e Banda Panaquatira 19h – Quadrilha Princesa do Sertão 20h – Boi Trono de Ouro 21h – Grupo Cobra Rio São João 21h – Quadrilha Quem Beijou já Era 22h – Dança Portuguesa Magia e Sedução de Portugal 23h – Josy Batista e Banda Matinha 19h – Dança Portuguesa Bailado Lusitano 20h – Quadrilha Quem Beijou já Era 21h – Dança do Boiadeiro Espora de Prata 22h – Seresta Top Parque Vitória 19h – Dança Portuguesa Explosão Country 21h – Quadrilha Princesa do Sertão 22h – Boi Trono de Ouro 23h – Banda Top 10 Piçarreira 19h – Quadrilha Estrela do Sertão 20h – Dança Portuguesa Magia e Sedução de Portugal 21h – Dança Portuguesa Reino em Portugal 22h – Quadrilha Quem Beijou já Era 23h – Garotinho Show
Veja Mais

26/06 - Dinheiro no exterior: saiba como lidar com as taxas e as regras
Veja qual moeda levar, qual modalidade financeira escolher e o limite de compras permitido. Notas de dólar em casa de câmbio em Jacarta, na Indonésia. Hafidz Mubarak/Reuters Além do seguro viagem e dos cuidados com os documentos, o viajante também deve ter cautela com o dinheiro ao organizar uma viagem. Saber como lidar com a grana em outros países pode garantir a tranquilidade. Leia mais notícias sobre Turismo e Viagem A principal pergunta da maioria dos viajantes é: qual a melhor forma de usar o dinheiro no exterior? A resposta para esta pergunta depende do seu destino, quanto tempo vai ficar em determinado local e quais são suas prioridades. Primeiro, é importante pesquisar as taxas de câmbio em vários lugares e fechar negócio apenas com uma casa de câmbio de confiança. Outro cuidado é ficar atento às modalidades bancárias para os gastos no exterior. Para a escolha da modalidade bancária, o viajante deve ficar atento, principalmente, no Imposto Sobre Operações Financeiras, o famoso IOF, que varia conforme o tipo de operação. No entanto, mesmo que o IOF seja mais baixo em determinada modalidade, não significa que essa forma de operação financeira é a ideal para o viajante. Escolha a modalidade financeira ideal Dinheiro em espécie – A moeda em espécie é a ideal para os turistas que preferem lidar com o IOF mais baixo – de 1,10%. Entretanto, a modalidade é a menos segura e é preciso ficar atento ao limite permitido. Cartão pré-pago – O cartão pré-pago é destinado às pessoas que querem praticidade. Nele, é possível recarregar até seis moedas diferentes, além de acumular milhas, pontos e outras vantagens. Em contrapartida, o IOF para o pré-pago é de 6,38%, muito acima do dinheiro em espécie e, em alguns países, o cartão passa sem precisar de senha, aumentando a insegurança sobre seu uso. Cartão de crédito – Como o pré-pago, o cartão de crédito possui o IOF de 6,38%. Porém, a modalidade pode facilitar compras pela internet, reservas e também é muito útil em caso de emergências. Cartão de débito – Nesta modalidade, o viajante pode sacar dinheiro e fazer compras com a função débito, descontando direto da conta. Além do IOF de 6,38%, a modalidade possui taxas para saque que podem variar entre os caixas eletrônicos e os bancos. De acordo com a polícia, na ligação, o suposto funcionário diz que o cliente precisa cancelar o cartão, e solicita informações, e pede para que a senha seja digitada TV Morena/Reprodução Qual moeda devo levar? A escolha da moeda vai depender do seu destino. Para países onde a moeda local é altamente valorizada é importante considerar levar a moeda do país. Por exemplo, nos Estados Unidos, países da Zona do Euro e na Inglaterra, é aconselhável o uso da moeda local, no caso, o dólar, o euro e a libra, respectivamente. Para países onde não há mercado para o real, a dica é que o viajante considere fazer dois câmbios, ou seja, que ele troque o real por dólares ainda no Brasil e, em seu destino final, troque os dólares pela moeda local. Esta medida pode ser vantajosa em países que contém uma moeda desvalorizada e uma baixa procura pelo real. Limite para comprar no exterior De acordo com as regras da Receita Federal, o limite para isenção de impostos nas compras é de US$ 500 para quem viaja de navio e avião. Para quem viaja por terra, o limite é de US$ 300. Itens de uso pessoal estão livres de impostos e não entram no limite de US$ 500 estipulados pela receita. Pode trazer sem pagar imposto Livros, folhetos e periódicos, sem restrições de quantidade. Câmera fotográfica e celulares (Desde que seja um por pessoa e estejam fora da embalagem) Itens de uso ou consumo pessoal desde que usados e compatíveis com as circunstâncias e duração da viagem. Roupa e sapato (três peças de cada modelo). Objetos comprados durante a viagem para uso profissional, desde que possa provar o uso. Pode trazer, mas há limitação Bebidas alcoólicas: 12 litros. Cigarros estrangeiros: 10 maços. Charutos ou cigarrilhas: 25 unidades. Fumo: 250 gramas. Bens com valor até US$ 10, no máximo 20 unidades e até 10 idênticos. Bens com valor acima de US$ 10, no máximo 20 unidades, e até 3 idênticos. Pode trazer, mas são tributados Objetos acima do limite de isenção de US$ 500. Veículos automotores, peças ou componentes, inclusive pneus. Encomendas para terceiros. Máquinas e aparelhos que requeiram alguma instalação para seu uso (Computador de mesa, ar-condicionado e projetor de vídeo). Itens proibidos Cigarros de marca não comercializada no Brasil. Réplicas de arma de fogo. Agrotóxicos e seus componentes. Substâncias entorpecentes ou drogas. Produtos pirateados (Pode resultar em multas, repreensão e até mesmo a prisão).
Veja Mais

26/06 - Saiba como funciona e como escolher o seguro viagem ideal
Ter um seguro viagem é essencial, mas melhor ainda é não precisar usá-lo. Entenda também tudo sobre as vacinas que o turista deve tomar antes da viagem. Turistas devem escolher bem o seguro viagem de acordo com o período fora. Pixabay Imprevistos acontecem e podem ser extremamente desgastantes durante qualquer viagem. Foi pensando nisso que 26 países estabeleceram o acordo de Schengen, que obriga a contratação de um seguro viagem para turistas. No tratado, foi estipulado um valor mínimo de 30 mil euros para todos os viajantes. Leia mais notícias sobre Turismo e Viagem Apesar do valor de 30 mil euros estipulado pelo tratado, o turista vai pagar apenas um valor de acordo com o total de dias viajando. Geralmente, o valor do seguro para viagens internacionais custam de R$ 9 a R$ 25 por dia. Contando com indenizações em diversas situações dependendo do plano, o seguro funciona como um plano de saúde temporário através de um sistema de reembolso. As despesas médicas, hospitalares e odontológicas são alguns dos serviços obrigatórios do seguro viagem. Entre as demais coberturas do serviço estão: a indenização em caso de extravio de bagagem, falecimento do segurado, cancelamento da viagem (caso o segurado seja impedido de viajar) e volta antecipada. Como faço para contratar um seguro viagem? Existem várias empresas no mercado que são especializadas em seguro e que são facilmente acessíveis, dispensando o excesso de burocracia. Além da própria companhia aérea escolhida pelo viajante e agências de turismo, e muitas vezes, o próprio banco do viajante oferece o serviço. Qual seguro devo contratar? No momento da contratação do serviço é importante ficar atento à cobertura de cada plano, que pode ir do mais simples ao mais completo. Para identificar o plano ideal, o viajante deve fornecer informações exatas do seu período de viagem e suas atividades turísticas. Cada turista possui a sua especificidade, alguns precisam proteger também seus equipamentos eletrônicos como computadores, equipamento fotográfico e celulares. Já outras pessoas precisam de um seguro mais específico por conta das suas atividades - caso dos viajantes que praticam esportes radicais como escalada, mergulho ou esqui, por exemplo. Portanto, a dica é: analise com calma suas principais necessidades para escolher seu plano O plano do seguro viagem deve ser escolhido de acordo com suas atividades. João Schawtz/Semptur Como utilizar o seguro viagem? O ideal ao fazer uma viagem internacional é prevenir-se de qualquer coisa que possa ser desagradável. Por isso, é importante levar os dados de contato da sua seguradora sempre consigo. Os seguros viagem funcionam em forma de reembolso, portanto, o assegurado terá que arcar com os custos do tratamento e depois será reembolsado pela seguradora. Saiba se seu destino exige alguma vacina Outra forma de garantir uma boa viagem sem imprevistos é ficar atento às vacinas necessárias de acordo com seu destino. O ideal é que a pessoa mantenha sempre a carteira de vacinação em dia. Entretanto, existe uma vacina que é normalmente exigida em todo o mundo: a da febre amarela. Vale lembrar que a vacina contra a febre amarela deve ser aplicada 10 dias antes do embarque. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), existem vários países que exigem a apresentação do Certificado Internacional de Vacina ou Profilaxia (CIVP) - documento responsável por comprovar a vacinação contra o vírus. A Agência Nacional de Vigilância (Anvisa) anunciou a lista atualizada em novembro de 2018. Neste levantamento, a agência listou 135 países que exigem que o turista apresente o CIVP. Veja a lista aqui. Como emitir o CIVP Primeiro passo é: tome a vacina exigida. Faça a solicitação em https://www.servicos.gov.br/. Aguarde a análise da Anvisa, que pode levar até 5 dias úteis. Imprima o certificado e assine no local indicado. CIVP comprova a regularidade de vacinas contra doenças como a febre amarela Samira Lima/G1 Como saber se devo tomar uma vacina específica? Em São Paulo, a Instituto de Infectologia Emílio Ribas oferece aos viajantes informação, orientação e uma avaliação de acordo com o destino do turista. Após a avaliação, se necessário, o paciente é direcionado ao Centro de eferência para Imunobiológicos Especiais (CRIE) para a aplicação da vacina. Qualquer pessoa pode utilizar o serviço, não é necessário ser paciente do hospital. Para a avaliação, é preciso realizar um agendamento prévio no site do instituto. Vacinas recomendadas para o viajante: Febre amarela Tétano Difteria Hepatites A e B Tríplice Viral (Sarampo, Caxumba e da Rubéola) Antirrábica (raiva transmitida por mordida animais)
Veja Mais

26/06 - Viagem internacional: entenda o que é exigido para crianças e menores sem a companhia dos pais
Saiba tudo sobre a autorização para o menor viajar desacompanhado, os cuidados que a gestante deve tomar e os documentos necessários para fazer uma boa viagem. Menores de até 18 anos só podem viajar para o exterior com autorização judicial. Chuttersnap/Unsplash O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) determina que menores de 18 anos só podem viajar para o exterior com autorização judicial. Crianças e adolescentes sozinhos ou na companhia de apenas um de seus pais também devem apresentar uma autorização de viagem emitida conforme a lei N° 131 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Leia mais notícias sobre Turismo e Viagem O modelo de autorização disponível no site da Polícia Federal exige a assinatura de ambos os pais ou do responsável legal. De quem a autorização será exigida Menor desacompanhado dos pais ou de outro responsável legal Menor acompanhado de apenas um dos pais Menor na companhia de um responsável maior de idade Menor que estiver voltando ao Brasil desacompanhado dos pais ou de um responsável A apresentação do documento deve ser feita no momento do check-in, independentemente da presença dos pais, responsáveis legais, tutores ou guardiões. A presença de um responsável não elimina a necessidade da autorização. Quando o menor não precisa de autorização O menor que estiver acompanhado de ambos os pais Jovem emancipado nos termos do art. 5° do Código Civil (com a comprovação da emancipação) Quando um dos pais é destituído do poder familiar, o menor pode viajar com o genitor responsável Em caso de morte de um dos pais (deve ser apresentada uma certidão de óbito) Área de check-in do Aeroporto Internacional São Paulo - Cumbica (GRU), em Guarulhos Celso Tavares/G1 Preenchendo a autorização corretamente O documento deve ser preenchido à mão e não deve conter rasuras e abreviações. Faça duas vias de cada autorização. Em caso de duas crianças viajando, é preciso preencher duas autorizações diferentes. É opcional incluir ou não a foto do menor. Para o preenchimento da validade, é recomendável que seja de até 2 anos. O documento deve ser reconhecido em cartório. Coloque as cópias dos documentos do menor anexadas à autorização. É possível viajar com um bebê? Uma das principais dúvidas em torno das viagens internacionais com crianças é a idade miníma para a criança possa viajar. Segundo a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), a partir dos 7 dias de vida, a criança já pode viajar, entretanto, os pais devem avaliar a necessidade da viagem se estiverem levando um recém-nascido, por exemplo. No caso de crianças com até 7 dias, algumas companhias podem solicitar uma autorização médica. Os documentos das crianças são tão importantes quanto os dos adultos. Para viagens internacionais, os responsáveis devem apresentar RG atualizado para países da América do Sul, passaporte e visto (quando necessário) para outros países. Preciso pagar passagem para uma criança de colo? De acordo com a Abear, algumas companhias cobram apenas a taxa de embarque para crianças de até 2 anos (sem assento). Até 12 anos, as companhias oferecem descontos especiais. Gravidez e viagem Viajar na gravidez não é contraindicado, mas é preciso tomar alguns cuidados para não comprometer a saúde da criança e nem da mãe. A principal orientação é viajar entre o terceiro e o sétimo mês (antes disso o feto está em formação, e depois do sétimo mês já há risco de parto prematuro). A recomendação da Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata), é que as companhias aéreas peçam uma autorização médica para as gestantes que forem viajar a partir do sétimo mês de gravidez. Vale ressaltar que, em qualquer período da gravidez, um médico obstetra deve ser consultado para saber se há algum risco ou se é preciso tomar algum cuidado específico. A Iata orienta que as companhias solicitem autorização médica para gravidez viajarem a a partir do sétimo mês de gestação. Instituto Nascer/Divulgação
Veja Mais

26/06 - PM de SP vai comprar 10 metralhadoras 'estilo Rambo' e quer fuzil que derruba helicóptero
Rota treinou - e pegou emprestado do Exército - fuzil de calibre restrito quando houve risco de resgate de presos do PCC a presídios. Agora, gestão Doria quer autorização para comprar mais armamento pesado. PM de SP vai comprar metralhadora leve calibre 7.62 semelhante à usada pelo Exército e pela FAB, que é a FN Minimi (foto) Exército/divulgação A Polícia Militar de São Paulo está lançando no Brasil e no exterior os editais para a compra de grande quantidade de armamento, entre os quais 40 mil pistolas calibre .40, 1.300 fuzis calibres 5.56 e 7.62, dois fuzis de sniper (atirador de precisão) e 10 metralhadoras leves de calibre 7.62 mm, semelhantes às usadas por Sylvester Stallone nos filmes do personagem Rambo. Os equipamentos serão entregues até o final de 2020 e custarão R$ 108,9 milhões. As informações foram dadas ao G1 pelo secretário-executivo da PM junto à Secretaria de Segurança Pública, coronel Álvaro Camilo. A PM paulista não compra metralhadoras há mais de 60 anos. Elas serão usadas para a proteção de presídios e o combate a ataques de carros-fortes e empresas de transporte de valores. PM de SP vai comprar metralhadoras "Não há há restrição do Exército para a PM comprar metralhadora. Então, por que a PM não comprou mais metralhadora? Porque não é uma arma comum, que você precisa para ser utilizada a todo momento. Em tese, metralhadora é para dar rajada. Para você comprar metralhadora e usar como intermitente, está perdendo, porque ela é mais cara. Melhor você comprar um fuzil", explica Camilo. Entre os modelos de metralhadoras leves que poderão participar da concorrência, cuja previsão de publicação é em agosto, estão alguns modelos preferidos pelos policiais paulistas, como a FN Minimi (utilizada pelas Forças Armadas brasileiras), a M249, a Heckler & Koch MG4 e a Negev NG7. Juliane Monteiro/G1 Fuzil que abate helicóptero Todo este material já tem autorização pelo Exército para ser adquirido, mas a corporação quer mais: pretende convencer os militares de que precisa comprar fuzis de calibres .30 e .50, restritos das Forças Armadas, mas que são usados pelos criminosos nestes ataques, podendo perfurar veículos blindados, destruir paredes e até derrubar helicópteros e aeronaves. Em 2010, a PM tentou comprar os fuzis de calibre .30 e .50, mas o Exército não deixou. No entanto, diante da possibilidade da facção criminosa que atua dentro e fora dos presídios Primeiro Comando da Capital (PCC) resgatar líderes, entre eles Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, que estavam em unidades prisionais no interior do estado, o Exército emprestou por 6 meses à PM estes fuzis e treinou policiais das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) para operar o equipamento. A divulgação do plano de resgate da facção levou à interdição temporária do aeroporto da cidade de Presidente Venceslau, que abriga um presídio onde estava a alta cúpula do PCC, para evitar qualquer ação criminosa, e a consequência transferência de Marcola e mais 21 detentos para penitenciárias federais em fevereiro de 2019. "Na verdade, a PM já usou estes fuzis .30 e .50 por empréstimo e autorização do Exército (neste período em que havia o risco de resgate da facção). As armas ficaram de sobreaviso do final do ano passado até março, abril deste ano. Tivemos um treinamento com a Rota no interior, preparando-se, para caso precisasse usar. Foi devolvido, mas a qualquer momento podemos pegar novamente, pois existe uma interação muito forte com o Exército", afirma o coronel. Policiais participaram de treinamento do Exército em Lins após descoberta de plano de fuga J. Serafim / Divulgação "E a ideia agora é a polícia partir também para a compra deste equipamento para ocorrências mais graves, como assaltos a empresas de valores e carros-fortes. Não está prevista agora (a compra dos fuzis .30 e .50), estamos estudando como poderemos fazer", salientou Camilo. "Infelizmente, é importante a polícia ter (este tipo de armamento), não só em São Paulo, como em outros estados, para fazer frente a uma necessidade mais específica do crime", disse ele. "Primeiro, é para a criminalidade saber que a polícia tem (estas armas). E que, se precisar, ela pode usar. A ideia é se preparar para caso precisar usar. Não é intenção da polícia usar estes fuzis no dia a dia, mas em uma situação super excepcional, como foi o que aconteceu (quando havia a suspeita de resgate)", reformou o secretário-executivo. Licitação internacional Segundo Camilo, "o governador (João Doria) autorizou a compra de 40 mil pistolas semiautomáticas agora, sendo que pelo menos 8 mil devem ser entregues até dezembro". A licitação está sendo divulgada em outros países e tem previsão de publicação no Diário Oficial do Estado em 10 de julho, com a assinatura do contrato em novembro. Há dois anos, a PM fez a primeira licitação internacional para a compra de pistolas, quando a fabricante austríaca Glock sagrou-se vencedora. Até então, o monopólio do mercado pertencia à brasileira Taurus. Isso acabou quando o armamento nacional passou a apresentar problemas, como disparos acidentais. "A PM compra Taurus porque não podia comprar outra arma, a verdade é esta. Sempre se tentou comprar outras", salientou Camilo. A partir do problema em São Paulo, o Exército passou a autorizar as polícias de todo o Brasil a comprar pistolas do exterior. A Glock, já utilizada pela Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal, sagrou-se vencedora em muitas licitações. "A polícia vai investir pesado em armamento. Queríamos comprar armamento de fora, mas, por uma questão legal, não era permitido. Agora, com todos estes problemas que aconteceram com a empresa Taurus - inclusive, foi feita uma aquisição de quase 5 mil metralhadoras, que apresentaram problemas e foram recolhidas - o Exército autorizou a compra internacional de armas", disse Camilo. Sobre o fato dos policiais passarem a usar nas ruas diferentes tipos de pistolas - alguns com Taurus, outros com Glock, e outros com outros tipos, que poderão ser adquiridos na nova licitação, o oficial diz não haver problema. "Não existe padronização neste caso. Eu posso comprar armas que atendam aos requisitos específicos. Qualquer marca pode entrar nesta licitação, e há outras marcas, que não a Glock. Claro que há a probabilidade da Glock ganhar. Mas há outras empresas internacionais que poderão participar de igual para igual, e irão brigar pelo preço", defendeu o secretário-executivo. Treinamento foi realizado por PMs com fuzis e metralhadoras do Exército no interior de SP para proteção de presídios J. Serafim / Divulgação
Veja Mais

26/06 - Anitta fala sobre o futuro: 'Trabalho duro agora porque quero muito parar cedo'
Na Costa Rica para gravação de clipe, cantora fala sobre plano de reduzir ritmo e de método para cuidar da saúde mental. Também diz não saber por que foi preso o DJ Rennan da Penha. O futuro de Anitta As comentadas férias que Anitta tirou neste mês, na Indonésia, não foram só um merecido descanso - mas também uma escolha estratégica. Durante a gravação de seu novo clipe, "Make it hot", em maio na Costa Rica, ela falou ao G1 sobre a intenção de "dar um tempo" nos lançamentos próprios depois da enxurrada de músicas novas do álbum "Kisses", o quarto de sua carreira, que saiu em abril. Anitta durante gravação do clipe de 'Make it hot', em Limón, na Costa Rica Divulgação A cantora emendou a maratona de shows do carnaval desse ano com a finalização e promoção do disco, que tem dez músicas e dez vídeos. Tudo isso intercalado com o lançamento de "R.I.P." (com Sofia Reyes e Rita Ora), o projeto de "Make it hot" em parceria com Major Lazer e a marca de bebidas Bacardi, além da gravação com Madonna. Tanto esforço tem um motivo: "Trabalho duro agora porque quero muito parar cedo", disse, durante a conversa na Costa Rica, onde ficou por três dias para gravar o clipe depois de um show em Angola e antes de mais um no Chile. Na entrevista abaixo, ela fala sobre o plano de reduzir o ritmo no futuro e de seus métodos para cuidar da saúde mental em meio à rotina exaustiva ao extremo - no ano passado, a cantora relatou ter sofrido de depressão. Também comenta a onda 150 bpm, que fez renascer o funk carioca, mas diz não saber por que foi preso um dos principais nomes do movimento: o DJ Rennan da Penha. Anitta dá entrevistas no intervalo de gravações do clipe de 'Make it hot', em Limón, na Costa Rica Divulgação G1 - Depois do lançamento do "Kisses", muita gente achou que você ia reduzir o ritmo de lançamentos ou até ficar um tempo parada. Como você viu essa possibilidade, estrategicamente? Anitta - Em relação às músicas especificamente minhas, eu vou mesmo dar um tempo de lançar. Mas ainda tem muita coisa com outras pessoas para vir, músicas em que eu sou a participação. Acho que isso faz parte de como a indústria funciona hoje em dia. G1 - Você pensa em descansar da carreira em algum momento? Tem uma idade que vê como limite? Anitta - Está nos meus planos, por isso trabalho tão duro hoje. Tenho vontade de parar cedo. Eu sou muito oito ou 80. Ou eu faço com toda a minha potência ou simplesmente quero aproveitar o oposto. Não gosto de fazer nada pela metade. Trabalho duro agora porque eu quero muito parar cedo. G1 - Muitos artistas têm falado sobre depressão, você mesma já relatou episódios. Com um ritmo de trabalho exaustivo ao extremo, como você tem cuidado da saúde mental? Anitta - Se eu sinto que estou muito ansiosa, preocupada ou com medo demais, entrando numa 'bad vibe', tento não pensar em trabalho. Ainda que eu esteja trabalhando, tento não ficar com a minha mente pensando no futuro, no que vai ser, em como vou resolver. Por mais que eu tenha compromissos que não posso cancelar, tento, durante esses compromissos, focar outras coisas que não tenham a ver com trabalho para que minha cabeça possa melhorar. G1 - O que cansa mais: fazer show ou gravar clipe? Anitta - Cansa mais fazer show porque não é só levantar e fazer. É ir para o lugar... há todo um grande trabalho. Fazer clipe é mais tranquilo. G1 - É sua primeira vez na Costa Rica. Você que escolheu gravar o clipe de "Make it hot" no país? Nesses casos, costuma levar em conta lugares que quer conhecer? Anitta - Na maioria dos meus trabalhos, eu faço parte das escolhas. Mas não costumo levar em consideração o que quero conhecer, mas elementos que tenham a ver com a música e o vídeo. Dessa vez não foi assim, eu não participei da escolha de nada para o clipe. Quando eu cheguei, não imaginava que era um lugar tão incrível, não estava com muita expectativa. Fiquei chocada, é um dos lugares mais lindos que já vi e de energia incrível. G1 - Como foi o processo de composição da música? Anitta - A música foi feita de uma maneira bem natural, costuma ser assim todas as vezes que trabalhamos juntos. Eu vou para a casa do Diplo, a gente escuta vários beats, escolhe um e vai trabalhando em cima dele. Nessa música, eu também fiz a parte da melodia. Somos muito amigos e vamos fazendo as coisas também meio à distância. É tudo bem prático. G1 - No "Kisses", você mostra algumas faces vocais que a gente não via com frequência. "Tu y yo" tem um vocal bem mais arriscado do que o que você costuma fazer. Mostrar sua capacidade vocal foi um dos objetivos desse disco? Anitta - Eu tinha feito o tom dessa música parecido com o de "Will i see you". Eu gosto sempre de mostrar coisas que as pessoas não estão esperando de mim. Sempre que faço um trabalho em que tenha a possibilidade de mostrar várias coisas ao mesmo tempo, gosto de ir para uma vertente diferente do que as pessoas estão acostumadas a ver. G1 - No Brasil, assistimos à explosão do funk 150 bpm e ao renascimento do funk carioca, que conversa diretamente com seu trabalho. Como você vê esse movimento e, paralelo a ele, a prisão do DJ Rennan da Penha, um dos nomes mais conhecidos do gênero? Anitta - "Onda diferente" [música do disco "Kisses"] é um 150 bpm. É uma inovação, uma forma de o funk carioca se reinventar e sobressair de novo. Mas eu não sei absolutamente nada [sobre a prisão de Rennan]. Eu sei que aconteceu, mas não sei os motivos, então não sou muito boa para opinar nesse momento. Eu estou viajando muito, então é difícil para mim estar totalmente a par das notícias a fundo.
Veja Mais

26/06 - Pressão faz proposta de 'pesque e solte' para o turismo de pesca no Pantanal ser adiada para 2020
Medida havia sido anunciada informalmente pelo governo de MS para este ano, mas decreto oficial apenas reduziu a cota anterior, e deixou a chamada cota zero para 2020. Pressão faz governo de MS adiar implantação do 'pesque e solte' para pescadores amadores Em uma manhã de sábado na BR-262 em Miranda (MS), três homens fugiam do sol de maio sob a sombra das árvores. Esperavam compradores para as iscas de pesca que mantinham em suas bicicletas estacionadas às margens da rodovia. Mas os carros passavam sem parar, o que para eles era a prova da queda no turismo do qual tiram o sustento. Em um estado que decidiu instituir o "pesque e solte" a partir de 2020, esses vendedores já temem perder o negócio para o desinteresse de quem está acostumado a visitar o Pantanal e levar seu peixe para casa. DESAFIO NATUREZA: Pantanal tem um fiscal a cada 204 km² para combater a caça e a pesca Safári de caça a onças que chocou o Brasil em 2011 teve maior parte dos crimes prescritos A chamada "cota zero" para os turistas mobiliza o debate no setor desde janeiro deste ano em Mato Grosso do Sul. A ideia é que todos os peixes capturados pelos pescadores com licença amadora passem a ser devolvidos ao rio. "O que é a prática do 'pesque e solte'? É você fisgar o peixe, você fotografar, e soltar o peixe novamente", explicou ao G1 Ricardo Senna, secretário-adjunto da Secretaria de Meio Ambiente Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso do Sul (Semade). O governo chegou a sugerir que a medida fosse implementada ainda em 2019. Mas protestos por parte dos empresários de turismo fez com que o governo estadual recuasse e apenas reduzisse a cota atual de dez quilos para cinco quilos. Os turistas também podem continuar levando para casa um exemplar de peixe e cinco piranhas – um peixe predador com ciclo de reprodução distinto, e que existe em abundância na região. Atualmente, os turistas que pescam em Mato Grosso do Sul só podem levar para casa cinco quilos de peixe e mais um exemplar, além de cinco piranhas Eduardo Palacio/G1 Na série de reportagens do Desafio Natureza sobre caça e pesca ilegal, o G1 visitou os principais destinos da pesca turística no Pantanal e ouviu as opiniões contra e a favor da mudança. Defendida pelo governo e pela maior parte dos empresários de turismo de pesca de Corumbá (MS) e de Cáceres (MT), as duas cidades com o maior número de visitantes, ela é vista com preocupação em outras regiões, como a de Miranda e Aquidauana (MT). O motivo é simples: ali, os rios têm água mais barrenta, enquanto o dourado, o peixe mais cobiçado pelo pescador movido apenas pela emoção da fisgada, prefere as águas limpas. "Foi o pior movimento nos últimos 20 anos pra gente", reclamou Gilson Tomicha Xavier, um dos comerciantes à beira da BR-262. Ele diz que vende iscas como tuvira, caranguejo e minhocoçu para turistas que viajam de carro para pescar no Rio Miranda. "Hoje mesmo a gente está aqui desde as 4h da manhã para vender duas dúzias de minhoca. Geralmente, em outras temporadas, a gente vendia dez dúzias", explicou Xavier, que ressalta que a venda de iscas pelos três colegas é o que sustenta 20 pessoas atualmente. Gilson Tomicha Xavier, vendedor de iscas na beira da estrada em Miranda (MS), diz que a cota zero fez cair as vendas em 2019 Eduardo Palacio/G1 A situação descrita por ele é corroborada alguns metros adiante, na Rua Barão de Rio Branco. "Nós estamos em maio, plena temporada, clima ótimo, rio muito bom de peixe. E vocês podem observar que não tem turista nenhum aqui na loja", afirmou Carlos Eduardo Murad de Góes, conhecido como Alemão e proprietário de uma loja de artigos de pesca e de uma pousada na beira do rio. O turismo de pesca é atualmente uma das principais atividades econômicas da região e funciona durante oito meses por ano – entre novembro e fevereiro, no período de reprodução dos peixes, o defeso ou piracema, é proibido pescar no Pantanal sulmatogrossense. Carlos Eduardo 'Alemão' é empresário do turismo de pesca em Miranda (MS) e diz ver a política de cota zero com 'preocupação' Eduardo Palacio/G1 Turistas são a maioria dos pescadores Números fornecidos pelos governos estaduais mostram que quase 100 mil pescadores frequentam os rios pantaneiros. Em 2018, foram emitidas um total de 81.689 licenças de pesca amadora nos dois estados. Em 2019, o cadastro de pescadores profissionais ativos é de 14.413, mas, segundo a categoria, atualmente os números são inflados. Desafio Natureza no Pantanal: compare o número de pescadores amadores e profissionais em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul Rodrigo Sanches/G1 Quem tem carteira de pesca profissional pode retirar do rio até 125 quilos de peixe por semana, mas deve respeitar os tamanhos mínimos e máximos permitidos pelas normas, além de não poder cortar os peixes. Os espécimes são registrados em guias de pesca e só podem ser vendidos nas peixarias ou restaurantes e hotéis. Os turistas também precisam registrar todos os peixes capturados. As polícias ambientais usam o documento para controlar a quantidade de peixes de cada espécie que é retirada dos rios, e todos podem ser multados caso não apresentem a documentação de origem do pescado. A terceira categoria de pescadores é composta pela população ribeirinha da região. Waldemar Magalhães é um de algumas centenas de pescadores artesanais, que ainda vivem na beira de rios como o Paraguai. Ele vive desde que nasceu perto da Serra do Amolar, próximo da divisa entre os dois estados pantaneiros e longe da urbanização. Waldemar Magalhães: "Eu não pesco para vender", afirma o ribeirinho, que também sobrevive da lavoura e de algumas vacas que cria. Em sua região, um dos peixes mais comuns que as comunidades locais consomem é o pacu. Eduardo Palacio/G1 O que dizem os turistas? Na pousada de Alemão, na zona rural de Miranda e a poucos metros do rio homônimo, turistas sulmatogrossenses e de fora do estado desfrutavam de um fim de semana pescando na natureza. "Isso aqui é o paraíso. Uma vez ou duas por ano a gente está aqui pescando", diz o gaúcho Oscar Marques, de 63 anos, logo após retornar de algumas horas no rio acompanhamento de um amigo e do piloteiro do barco. Junto com ele, um balde cheio de palmitos, uma das espécies mais capturadas pelos pescadores na região, junto com o pintado, o pacu, a piraputanga e o cachara. Marques explica que as viagens de pesca costumam seguir a mesma rotina: sair de manhã para pescar durante algumas horas, voltar à pousada para o almoço e, depois de um descanso, retomar a pesca no rio até o fim do dia. A maior parte dos barcos de pesca no Pantanal são composta por dois pescadores amadores (turistas) e um piloteiro, geralmente um ex-pescador profissional que agora trabalha no turismo Eduardo Palacio/G1 Ele conta que costuma viajar até lá desde o Rio Grande do Sul de carro porque carregar os equipamentos e, depois, os peixes capturados, é mais trabalhoso de avião. Há ainda grupos de turistas que fretam um ônibus para poder levar todo o material, além do que fisgarem durante a viagem. O gaúcho e quase todos os outros pescadores amadores ouvidos pelo G1 se disseram favoráveis à cota zero para os turistas, mas com reservas: segundo eles, de nada valerá a cota zero se mudanças de comportamento não forem aplicadas também aos pescadores profissionais e os de subsistência, e que eles dizem serem responsáveis pela pesca predatória. Para saber quantas pessoas dizem que não voltarão à região caso a cota zero saia do papel, Alemão começou a fazer uma enquete entre os clientes de sua loja. Ele diz que outros comerciantes estão fazendo o mesmo, e o objetivo é levar os resultados até o governo no segundo semestre, com propostas de um meio termo, como liberar ou a cota de 5 kg, ou um exemplar de qualquer espécie, ou manter a cota de 2019 durante alguns anos, para dar tempo de o setor se adequar à oficialização do "pesque e solte". No Pantanal, a pesca é permitida, mas deve seguir regras que restringem os meses do ano, os locais, as espécies e tamanhos de peixe que podem ser pescados, além da cota para os pescadores e dos apetrechos de uso permitido Rodrigo Sanches/G1 Amor e ódio pela cota zero "A cota zero é [uma relação] de amor e ódio", resumiu Joice Santana Marques. Nascida em Franca, no Interior de São Paulo, ela decidiu se mudar para Corumbá com 19 anos, para não ter que fazer carreira dentro de fábricas de sapato. Começou a trabalhar em uma agência de turismo, e há 20 anos tem o seu próprio negócio, incluindo um barco hotel. Ela acompanhou as regras da pesca ficarem cada vez mais rígidas no decorrer das décadas, à medida que o turismo se expandia. "A gente necessita passar por essa mudança. A natureza não dá conta de reproduzir os peixes com tanta velocidade. Então, hoje os nossos peixes estão menores. Hoje a gente está perdendo mercado. Se eu for lá para o [Rio] Araguaia, eu vou pegar lá um monte de peixe de mais de 35 quilos." - Joice Santana, empresária de turismo Como a lei impõe um tamanho mínimo para que o peixe seja retirado do rio, na prática, Joice diz que boa parte da atividade de pesca no Pantanal já acontece no estilo "pesque e solte", por causa da falta do peixe nas condições de abatimento. Loja de artigos de pesca em Miranda (MS) mostra tamanhos mínimo e máximo permitidos para o abate de cada espécie de peixe Eduardo Palacio/G1 Pacu de 40 centímetros, abaixo da medida para a retirada do rio, apreendido em uma operação da Polícia Militar Ambiental em Corumbá (MS) Divulgação/PMA-MS A Embrapa Pantanal é uma das principais instituições que pesquisam o estoque de pescado na região. Segundo Agostinho Catella, um dos pesquisadores especialistas no tema, explica que uma das pesquisas usa grandes amostras das guias entregues pelos pescadores à polícia ambiental. "A captura da pesca profissional e artesanal vem estável, de 2002 até agora, e para a pesca amadora também", disse ele, ressaltando que tanto os pescadores profissionais e artesanais quanto os amadores continuam pescando principalmente os peixes de grande porte. "A cota zero, pelo que a gente entende, é uma demanda de um tipo de usuário. Agora, existem outros usuários, que têm outro perfil, estão interessados em levar o seu pescado para comer em família", diz Catella, da Embrapa Pantanal. Segundo ele, outros países com "estudos muito avançados nessa área", como a Alemanha, inclusive já superaram a fase do "pesque e solte", e estão reavaliando a política. "Está havendo agora uma segunda forma de enxergar a coisa: se for para você só vivenciar a captura, eu não concordo. Se você pescar para comer, eu concordo", exemplificou ele sobre essa nova tendência em debate no exterior. Enquanto isso, no Pantanal, iniciativas do turismo local já se antecipam às regras de 2020, seja com a sensibilização dos visitantes para que desistam de abater o peixe à oferta de descontos para o turista que topar adotar o "pesque e solte" desde já. Os turistas de pesca costumam ou ficar hospedados em pousadas às margens dos rios ou passar dias dentro de um barco hotel nos rios maiores, como o Paraguai Eduardo Palacio/G1 Transição da atividade econômica Senna, da Semade, se considera "economista de formação e pescador de coração", e afirma que o debate sobre a 'cota zero' tem ocorrido desde 2015 no estado. Segundo ele, o governo estadual está comprometido em manter a mesma cota dos pescadores profissionais, inclusive os que pescam a isca usada pelos turistas. Conhecidos como 'isqueiros', essa parcela de pescadores pantaneiros é a mais vulnerável, já que a pesca de iscas é feita à noite e há riscos de picadas de escorpião ou inclusive ataques de onça-pintada – como o que ocorreu em junho de 2008 em Cáceres. Lambaris, peixes usados como iscas para a pesca de espécies maiores, são coletadas por pescadores profissionais e vendidas a turistas ou lojas de pesca Eduardo Palacio/G1 Lieze Francisco, conhecido na região do Carandazal entre Miranda e Corumbá como Zé Bicudo, lidera uma associação de pescadores de isca e diz que, com a redução dos turistas, seu negócio também foi afetado, já que os isqueiros atendem à demanda dos donos de pousada e lojas de pesca. Em maio, ele disse ao G1 que, nos primeiros meses de 2018, já tinha juntado mais de R$ 3 mil para poder pagar as prestações do carro popular que financiou pelo Banco do Brasil. "Nesse ano até agora não consegui guardar nada", afirmou Francisco. "A gente não é contra ele [o projeto da cota zero] em si. Mas é contra a maneira com que ele está sendo aplicado. Isso é um projeto de longo prazo, que você precisa ir de quatro, oito, dez anos pra migrar as pessoas", disse ele, que afirma ter mais de 50 e ser analfabeto, o que inviabiliza as possibilidades dele passar para o negócio de turismo de observação de animais. Na beira da BR-262, famílias de pescadores de isca vivem em barracos e relatam uma queda na receita das vendas em 2019 Eduardo Palacio/G1 Visão holística do setor Claumir Cesar Muniz, professor da Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat) e pesquisador do Projeto Bichos do Pantanal, do Instituto Sustentar, afirma que a pesca no Pantanal envolve muitos setores, e por isso as mudanças de regras devem seguir uma "visão holística" do setor, "não só olhando para o pescador, que geralmente é o elo mais fraco desse processo". Segundo Senna, da Semade-MS, os objetivos da cota zero são "fazer o controle e monitoramento do estoque pesqueiro e, em paralelo, encontrar alternativas para que esse pescador tenha uma condição melhor de geração de renda". Já Agostinho Catella, da Embrapa, destaca a necessidade de o governo estadual montar um plano de manejo para a pesca. "Um plano adaptativo e compartilhado, porque na medida em que os usuários compartilham das decisões, eles automaticamente são fiscais do sistema." Segundo a Semade, a secretaria e a Embrapa se reuniram neste mês para discutir o tema e "serão necessárias outras reuniões para estabelecer novas parcerias para viabilizar a implementação de um plano" mas "ainda não há um prazo definido para sua implementação". Pantanal tem um fiscal a cada 204 km² para combater a caça e a pesca ilegal Initial plugin text
Veja Mais

26/06 - De 'Toy Story' a bares: Conheça Zé da Viola, cantor das músicas das animações no Brasil
'Não tinha a menor ideia que minha voz se tornaria tão conhecida', conta em entrevista ao G1 o intérprete das versões brasileiras da trilha, incluindo o recém-lançado 'Toy Story 4'. Conheça o cantor das músicas do filme 'Toy Story' "Toy Story 4", que estreou na última quinta-feira (20), trouxe de volta para os cinemas uma voz bem conhecida pelos milhões de fãs da série no Brasil. O rosto, nem tanto. O G1 conversou com Zé da Viola, intérprete de músicas que marcaram a versão brasileira da saga do caubói Woody e seu fiel amigo Buzz Lightyear. Assista ao vídeo acima. Após "Amigo estou aqui" e "Coisas estranhas", entre outros sucessos dos três primeiros filmes da franquia, Zé gravou a versão em português da nova "The ballad of the lonesome cowboy". "Pensei que parariam no 3. Quando disseram que seria lançado o 4, eu não sabia se seria chamado. Quando recebi o telefonema para gravar a nova trilha, falei: caramba, que barato! Lá vou eu novamente!", revelou, emocionado. Ducky, Bunny, Buzz, Woody e Bo Peep em 'Toy Story 4' Divulgação Zé da Viola se tornou a voz de "Toy story" quase por acaso. Foi gravar um CD em um estúdio quando o dono percebeu que sua voz era muito parecida com a de Randy Newman – intérprete da trilha original, em inglês – e propôs gravar um teste. Foi aprovado imediatamente. "Quando chegou a notícia, eu fiquei em êxtase. Mas não tinha a menor ideia que minha voz se tornaria tão conhecida e marcaria tantas vidas", diz. Carioca da Vila da Penha, Zé da Viola se tornou mais conhecido depois que sua filha postou na internet um vídeo dele tocando e cantando a música tema da série. O vídeo foi repostado diversas vezes, atingindo mais de um milhão de pessoas. Zé da Viola toca os sucessos de Toy Story Gustavo Wanderley/G1 Com apenas 30% da visão, Zé não consegue ler os comentários deixados pelos fãs. "Minha filha sempre vem e me mostra os comentários. São pessoas perguntando onde estou, falando o quanto marquei a vida delas, querendo saber o porquê de eu não ser um cantor famoso, que eu deveria ter mais projeção. Isso me deixa muito feliz." Antes de se tornar a voz de "Toy Story", Zé tentou a vida na música com mais dois irmãos. Os três chegaram a gravar um CD pela Polygram, mas não emplacou. Depois da morte de um deles, e do outro trocar de carreira para a de dublador, ele seguiu solo. "Eu fui tocar em bares, restaurantes, hotéis... Anos mais tarde, pintou a oportunidade de gravar as músicas de Toy Story." Zé da Viola conta sua história na música Miguel Folco/G1 Atualmente, tem se apresentado aos finais de semana em dois bares. Toca todos os ritmos musicais, mas a bossa nova, a MPB e o samba são os mais pedidos. O carinho dos fãs continua presente em suas apresentações. "Certo dia, um cliente pediu para tocar 'Amigo estou aqui'. Ao ouvir, um morador do prédio em cima do bar desceu e veio falar que minha voz estava eternizada, que havia crescido ouvindo a música. Isso não tem dinheiro que pague", contou, orgulhoso. A pouca projeção no cenário artístico não incomoda. "Tentei ser um artista mais de ponta, mas não consegui. Cada um tem o que merece. Não foi a minha hora. Mas, daqui a pouco, pode ser, quem sabe. Eu sou muito satisfeito pelo o que fiz, pelo o que pude passar para as pessoas, e o que ainda vou continuar passando."
Veja Mais

26/06 - Como os anabolizantes podem prejudicar o seu corpo
Os hormônios sintéticos podem até aumentar a massa muscular, mas seus efeitos colaterais são graves e, muitas vezes, irreversíveis. Conquistar um corpo bem definido e repleto de músculos exige esforços e, mesmo seguindo todas as regras e recomendações, nem todo mundo consegue alcançar o padrão desejado. Para acelerar o processo, muita gente acaba apostando nos anabolizantes, que proporcionam um ganho considerável de massa magra, mas cobram um alto preço por esse benefício. Não é só musculação: conheça outros exercícios que ajudam a ganhar músculos Músculo, ombro, joelho e lombar: saiba como as lesões mais comuns afetam quem frequenta a academia Quiz: você sabe alimentar os seus músculos? Os esteroides androgênicos anabólicos podem causar danos irreversíveis, como rouquidão e hepatite, segundo Clayton Luiz Dornelles, membro da Comissão Temporária para Estudo da Endocrinologia, Exercício e Esporte da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM). “Eles são reguladores da síntese de todos os nossos genes, principalmente da parte muscular, por isso aumentam massa magra. Mas nós temos receptores de esteroides no corpo inteiro e o uso nas doses erradas causa diversos efeitos colaterais indesejáveis no organismo, que podem até ser fatais” - Clayton Luiz Dornelles, médico O uso indiscriminado dos anabolizantes preocupa as autoridades médicas, que passaram a considerá-lo um problema social e de saúde pública. Para frear a situação, a SBEM lançou o projeto Bomba Tô Fora, um programa educacional de prevenção ao uso desse tipo de substância. Confira, abaixo, os principais efeitos que o uso indiscriminado de esteroides anabolizantes pode causar no organismo: Efeitos que o uso indiscriminado de esteroides anabolizantes pode causar no organismo Arte/G1 Initial plugin text
Veja Mais

26/06 - Estudante de Porto Alegre é aceita em seis universidades para mestrado nos Estados Unidos
Larissa Migotto, de 22 anos, recebeu bolsa integral para estudar e trabalhar na Universidade de Illinois em Urbana-Champaign, mas precisa de 5 mil dólares para custear o seguro saúde. Para juntar o dinheiro, jovem iniciou vaquinha online e vende doces na Capital. Estudante de 22 anos foi aprovada em seis universidades para mestrado nos Estados Unidos. Arquivo pessoal A estudante Larissa Migotto, de 22 anos, conseguiu vagas de mestrado em seis universidades dos Estados Unidos. Moradora de Porto Alegre, ela se prepara para passar dois anos no país, onde vai estudar e trabalhar na Universidade de Illinois em Urbana-Champaign, com bolsa integral. Depois da maratona para conseguir aprovação, agora a jovem tem um novo desafio: conseguir 5 mil dólares para custear o seguro saúde durante o período em que estiver nos EUA. Para isso, vende doces e está com uma campanha online para arrecadar o dinheiro. "Por anos, a minha mãe, que é cuidadora de idosos, vendeu doces para conseguir renda para casa, então para gente essa é sempre uma opção para conseguir pagar nossas contas. Eu já tinha a ideia de fazer a vaquinha, então pensei que, além do lucro, os doces poderiam atrair mais pessoas para ouvirem a minha história e entrarem na minha vaquinha para contribuírem por lá também". Initial plugin text una de escola pública nos ensinos fundamental e médio, Larissa recebeu a primeira bolsa para os Estados Unidos aos 14 anos. Aluna de escola pública nos ensinos fundamental e médio, Larissa foi aprovada pela primeira vez em uma bolsa de estudos internacional aos 14 anos. "Eu ganhei uma bolsa de estudos para estudar inglês por um programa da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil. Desde lá, eu sempre quis muito estudar fora, mas sabia que isso era um plano de longo prazo para mim. Já que envolvia alguns custos, com testes, taxas, visto, etc. Dos meus 14 anos para cá, eu pude participar de diversos outros programas da Embaixada, que intensificaram meu desejo de estudar fora." Depois de ser aceita por seis universidades, a escolha por Illinois foi pela possibilidade de poder trabalhar e estudar durante os dois anos. "Eu vou ser responsável por auxiliar uma professora na disciplina de Introdução à América Latina, ajudar nas correções das avaliações e dar aula uma vez por semana sobre essa mesma matéria na University of Illinois". O mestrado da Larissa é em Estudos Latino-Americanos e Caribenhos. A ideia é desenvolver pesquisas que possam ter algum impacto para o Brasil e para América Latina no futuro. "Desde a graduação, eu sempre foquei minhas pesquisas e trabalhos para a questão da integração regional latino-americana, a política externa do Brasil em relação a esses países e a política externa dos Estados Unidos para a região latino-americana. Vou continuar estudando isso, mas agora quero entender um pouco mais sobre economia e desenvolvimento de políticas públicas para a nossa região. Isso vem de uma vontade minha de retribuir." Depois que começou a receber as cartas de aceitação das universidades, os amigos passaram a ter curiosidade sobre o método usado por Larissa. Foi aí que surgiu a ideia de reunir todas as dicas num e-book. "Escrever um livro também era um sonho que eu tinha, mesmo que seja um livro eletrônico. Quero disseminar mais essa ideia de que é possível estudar fora, tem várias bolsas, e mesmo que você não tenha dinheiro, ainda dá para tentar e conseguir oportunidades bem bacanas". Principais dicas Seja você mesmo e conte sua história com paixão. Isso é realmente valorizado lá, de onde você vem, quais foram suas conquistas e suas dificuldades. Como é uma avaliação bem holística, fale de você mesmo, não desperdice essa oportunidade falando de coisas generalistas e sendo muito modesto. Mostre como você pode contribuir para universidade e como será um bom "embaixador" para a instituição no futuro. Essa dica mostra que, além da sua história (seu passado), a universidade também está preocupada com o seu potencial (seu futuro) de representá-la bem em outros contextos, países, etc. Envolva-se em atividades extracurriculares. Não adianta ter só um histórico da graduação cheio de notas 10, apesar de ser importante ter boas notas, obviamente. Mostrar que se envolve com algumas causas e atividades extraclasse é bastante valorizado. Prepare-se o quanto antes. Talvez pareça um exagero, mas eu acho realmente que me preparo desde os 14 anos, quando comecei a fazer inglês e trabalhos voluntários, em Porto Alegre. Tudo isso conta bastante, acho que nunca é cedo demais para começar. As aulas começam dia 26 de agosto. Larissa deve embarcar uma semana antes para fazer um treinamento destinado a estudantes internacionais que vão trabalhar na universidade. "Meus irmãos trabalham desde os 14 anos nas mais variadas funções: office boy, motoboy, vendedor, lavando carros, fazendo mudanças. Foi por causa de toda essa dedicação deles que eu não precisei trabalhar desde cedo e pude ter a oportunidade de estudar. Só quem vive essa dinâmica consegue compreender o tamanho do privilégio que é poder se dedicar 'somente' aos estudos. Sou muito grata a eles por isso". Initial plugin text
Veja Mais

26/06 - Igreja faz seminário para treinar pastores a ajudarem mulheres vítimas de violência, em Goiânia
Evento é gratuito e acontece na sede da Assembleia de Deus, no Setor Pedro Ludovico. Expectativa é de que 300 pessoas participem das atividades. Fachada da Assembleia de Deus, em Goiânia Expresso Criativo/Divulgação A Assembleia de Deus promove nesta quarta (26) e quinta-feira (27) um seminário sobre violência contra a mulher. A ideia é capacitar líderes, como pastores e pastoras, para acolher e orientar as vítimas. O evento é gratuito e acontece na sede da igreja, no Setor Pedro Ludovico, em Goiânia. Segundo a assessoria, a igreja espera receber 300 pessoas no seminário, que tem como nome "A Igreja contra violência doméstica". A iniciativa é do pastor e presidente, Neuton Abreu, que terá um núcleo para receber relatos e acompanhar casos de violência doméstica, além de atuar na prevenção de casos. Neuton conta que a ideia surgiu a partir de demandas do cotidiano. "Espero que o seminário tenha uma repercussão positiva e que as pessoas participem, seja no âmbito educacional, como educadores e professores, mas também toda a comunidade e a igreja." A socióloga e pesquisadora Aava Santiago, designada para coordenar o núcleo da igreja, explica que também está entre os objetivos do seminário que líderes evangélicos encorajem as vítimas a fazerem a denúncia. Segundo ela, pesquisas de abrangência nacional apontam as dificuldades sofridas por evangélicas vítimas de violência doméstica, por falta de orientação e amparo por parte de suas congregações de fé. Ainda de acordo com Aava, um estudo da Universidade Mackenzie aponta que 40% das mulheres vítimas de agressão física ou verbal são evangélicas. "Muitas vezes essas mulheres não denunciam por medo de represálias na comunidade eclesiástica ou por orientações equivocadas de que uma evangélica não deve denunciar um marido violento", diz. Ela afirma que o evento é inédito e que valores como justiça, respeito e amor ao próximo "são pilares da vida de um cristão". Durante o seminário, serão abordados aspectos teológicos e sociais das vivências das mulheres que podem resultar em situações violentas. A socióloga Aava Santiago e a defensora pública Gabriela Hamdan partipam do seminário em Goiânia Fernando Diniz/Divulgação Também participante do seminário, a defensora pública Gabriela Hamdan reafirma a importância do evento. Ela coordena o Núcleo Especial de Defesa dos Direitos das Mulheres da Defensoria Pública de Goiás (Nudem) e diz que muitas vítimas que procuram atendimento se dizem evangélicas. "No primeiro dia vamos falar sobre a parte jurídica e psicológica da violência, como os conceitos e os tipos existentes. Já na quinta-feira [o trabalho] será focado nos líderes, pastores e pastoras da igreja, em como fazer o acolhimento e encaminhamento das denúncias", conta. Segundo ela, sua abordagem vai trazer os desafios da denúncia e uma série de orientações práticas de como as lideranças da igreja podem contribuir com as famílias para pôr fim em quadros de violência. "A nossa ideia é tirar da cabeça do pastor que o problema da violência é resolvido apenas com o perdão, mas que também é necessário que este agressor seja denunciado pela sua conduta", diz a defensora pública. "A Igreja contra violência doméstica" Data: 26 e 27 de junho Horário: 19h30 Local: sede da Assembleia de Deus (Adpel) na Rua 1034, 319-342 no setor Pedro Ludovico Entrada: Gratuita *Vanessa Chaves é integrante do programa de estágio entre TV Anhanguera e Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO), sob orientação de Elisângela Nascimento. Veja outras notícias da região no G1 Goiás.
Veja Mais

26/06 - Árvores que não podem ser cortadas são tema da série 'Olhar Curitiba'; FOTOS
Imagens em preto e branco foram feitas pela fotógrafa Lucilia Guimarães. Canela de Java na Rua Theodoro Schneider Lucilia Guimarães/SMCS Árvores que não podem ser cortadas se tornaram inspiração para a nova edição da série Olhar Curitiba, feita por fotógrafos da Secretaria Municipal da Comunicação Social. Nesta edição, a fotógrafa Lucilia Guimarães foi a campo e fez registros em preto e branco. Fotógrafos registram simetria urbana Bicicletas inspiram novo tema da série Curitiba vira cenário de 'filme noir' em fotografias Essas árvores imunes a corte são identificadas com placas. Qualquer cidadão pode sugerir a inclusão de mais árvores na lista da prefeitura. Caso ela esteja no terreno da casa, por exemplo, o dono ficará responsável pela árvore e terá desconto de 10% no valor do IPTU. Araucária na Praça Tiradentes, em Curitiba Lucilia Guimarães/SMCS Pinheiro-do-paraná na Avenida Manoel Ribas, em Curitiba Lucilia Guimarães/SMCS Paineira na Rua Bom Jesus, em Curitiba Lucilia Guimarães/SMCS Castanha-potuguesa na Rua Bom Jesus, em Curitiba Lucilia Guimarães/SMCS Pau Ferro na Praça Tiradentes Lucilia Guimarães/SMCS Pau Brasil na Prefeitura Municipal de Curitiba Lucilia Guimarães/SMCS Monjoleiro na Rua Manoel Ribas, em Curitiba Lucilia Guimarães/SMCS Araça Gigante em Curitiba Lucilia Guimarães/SMCS Kuntze Tipuana na Rua Padre Antônio, em Curitiba Lucilia GUimarães/SMCS Ipê Amarelo na Rodoferroviária, em Curitiba Lucilia Guimarães/SMCS Blake Guapuruvu na Praça Santos Andrade, em Curitiba Lucilia Guimarães/SMCS Palmeira Leque na Praça Osório, em Curitiba Lucilia Guimarães/SMCS Timbaúva na Rua Euro Brandão, em Curitiba Lucilia Guimarães/SMCS Pinheiro Chinês na Rua Carlos Cavalcanti, em Curitiba Lucilia Guimarães/SMCS Jatobá na Praça 29 de Março, em Curitiba Lucilia Guimarães/SMCS Paineira na Rua Emílio Alexandrino da Silva, em Curitiba Lucilia Guimarães/SMCS Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.
Veja Mais

26/06 - Curso pré-vestibular gratuito para alunos da rede pública abre vagas no DF
Inscrições vão até 17 de julho. São 180 vagas para o segundo semestre de 2019. Vestibular Cidadão abre inscrições para o segundo semestre. Divulgação/Vestibular Cidadão Estão abertas as inscrições para o Vestibular Cidadão, projeto voluntário movido por alunos da Universidade de Brasília (UnB). A iniciativa oferece aulas de graça para estudantes de escolas públicas que não têm condição de pagar curso pré-vestibular. Ao todo, são 180 vagas disponíveis para o segundo semestre de 2019. As inscrições podem ser feitas até o dia 17 de julho, na página do grupo. Os interessados devem pagar uma taxa de R$ 10, sendo que o dinheiro arrecadado é destinado à manutenção do projeto. Podem se inscrever alunos de escolas públicas que estejam no terceiro ano ou já tenha se formado no ensino médio. A seleção também permite a participação de estudantes que tenham recebido bolsa integral para estudar em escolas particulares. A prova de seleção para o curso preparatório deve ocorrer no dia 20 de julho. Já nos dias 27 e 28, serão realizadas entrevistas individuais. Já as aulas para os selecionados ocorrem a partir de 3 de agosto e vão até a data do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), em 3 de novembro. Seleção para voluntários Além da seleção para alunos, também estão abertas as inscrições para voluntários interessados em participar do Vestibular Cidadão como professores. A iniciativa procura pessoas interessadas em lecionar nas disciplinas de artes cênicas, artes visuais, física, gramática, história, matemática, química e sociologia. As inscrições também estão abertas até o dia 17 de julho, pela página do projeto. Para participar do processo, os interessados precisam fazer prova e lecionar uma aula experimental. O resultado deve ser divulgado no dia 30 de julho. Sobre o projeto Professora voluntária dá aula no Vestibular Cidadão Arquivo Pessoal O Vestibular Cidadão foi criado por alunos da Universidade de Brasília, em 2003. A iniciativa oferece aulas preparatórias a estudantes da rede pública ou com bolsa integral em escolas particulares que não tem condições de pagar por um cursinho preparatório para o Enem. O objetivo da iniciativa é prestar auxílio àqueles que buscam pela oportunidade de ingressar em uma instituição de ensino de qualidade, incentivando os alunos a se tornarem cidadãos conscientes e agentes positivos de mudança na sociedade, além de aprimorar seu rendimento. Serviço Inscrições abertas para 2ª semestre de 2019 do Vestibular Cidadão Quando: inscrições abertas até o dia 17 de julho de 2019 Como se inscrever: pelo site. Podem participar alunos ou ex-alunos de escolas públicas ou com bolsa integral em instituição privada de ensino no nível médio. Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.
Veja Mais

26/06 - Caminhoneiros acreditam que ponte entre Santos e Guarujá será benéfica para a categoria
Categoria acredita que a ponte será benéfica desde que o valor do pedágio não seja superior ao cobrado na Rodovia Cônego Domênico Rangoni, que liga as duas cidades. Ponte entre Santos e Guarujá será viável se não houver aumento no pedágio, afirmam caminhoneiros Jornal A Tribuna de Santos A construção de uma ponte entre Santos e Guarujá, no litoral de São Paulo, trará benefícios para os caminhoneiros, segundo a categoria, se a tarifa não for maior do que R$ 12,20 por eixo, valor cobrado atualmente pela Ecovias no pedágio da Rodovia Cônego Domênico Rangoni, conhecida como Piaçaguera, que liga as duas cidades. Leia a 1ª Reportagem: Santos e Guarujá sonham com ponte 92 anos após o 1º projeto Leia a 2ª Reportagem: Sem ponte, moradores de Santos e Guarujá enfrentam dilema de esperar pela balsa ou percorrer trajeto gigante Em entrevista ao G1, o diretor do Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens da Baixada Santista e Vale do Ribeira (Sindicam), José Cicero Rodrigues Agra, explica que se a travessia pela ponte custar mais caro, a tendência é que os caminhoneiros continuem optando pela rodovia. "Hoje nós fazemos um percurso até o Guarujá e pagamos um pedágio na volta. Se esse valor for compatível com esse pedágio, seria muito bom porque diminuiria na quilometragem. Para o sindicato dos caminhoneiros, a questão é o valor a ser cobrado", afirma. Questionada pelo G1 sobre a possibilidade de cobrança de pedágio, a Ecovias, que será responsável pela construção da ponte, disse que as definições sobre o projeto só ocorrerão após avaliação pelo órgão regulador. "O projeto da Interligação entre Margens, que inclui a ponte sobre o canal, está em análise na Artesp", afirma. Já a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) informou que, por determinação do Governo do Estado, somente analisa estudos e projetos encaminhados pela concessionária [Ecovias] para avaliação de viabilidade técnica do projeto de implantação da ponte Santos Guarujá. Piaçaguera Enquanto os motoristas têm a possibilidade de optar pela balsa para fazer a ligação entre as duas cidades, a única opção dos caminhoneiros é o trajeto pela Piaçaguera. Pela rodovia, o percurso de Guarujá a Santos costuma levar até uma hora. De acordo com a Ecovias, a ponte deverá reduzir o percurso de 45 km para menos de 10 km. O projeto é composto por uma ponte e trechos com elevados em viadutos que somam 7,5 quilômetros. A estrutura conecta a Via Anchieta, no km 64, à Rodovia Cônego Domênico Rangoni, no km 250. Carlos Alberto Xavier, de 50 anos, trabalha como caminhoneiro há 23 anos. Ele conta que costuma passar pela Piaçaguera, em média, três vezes por semana, e acredita que a construção de uma ponte permitirá maior fluidez no trânsito, diminuição no tempo para chegar até Santos e maior segurança. Mesmo quando está de folga, com seu carro, ele conta que prefere utilizar a rodovia. "Acho mais prático. Não gosto de usar a balsa, acho que demora mais", afirma. Quem também acredita que a construção de uma ponte será benéfica é o caminhoneiro Jonathan de Oliveira Costa, de 34 anos. Para ele, que utiliza a Piaçaguera há oito anos, será possível ganhar tempo. Jonathan conta que gasta R$ 439,20 por mês só com pedágio, por isso, não seria viável optar por um trajeto mais caro. "Esperamos que possa ser realizado o mais rápido possível, pois seremos todos beneficiados com essa ponte, tanto caminhoneiros quanto moradores e trabalhadores". Para os caminhoneiros, a única opção para fazer a ligação entre Santos e Guarujá é a Rodovia Cônego Domênico Rangoni Reprodução/TV Tribuna Autoridade portuária Em entrevista ao G1, o diretor-presidente da Codesp, Casemiro Tércio Carvalho, afirma que defende a construção de um túnel submerso. "Há uma solução de túnel já amplamente discutida e para o qual existe, inclusive, projeto contemplando, além de carros de passeio e caminhões, faixa para ciclistas, trilho para VLT e passagem para pedestres. Isso converge para uma verdadeira política de integração porto-cidade, respeitando não só os atores portuários, mas a comunidade da Baixada Santista como um todo", afirma. Segundo ele, não está claro a qual demanda a ponte atende. "Localizada ao fundo do canal de navegação, não é, certamente, à mobilidade urbana, o principal fluxo entre margens e longe da maior concentração demográfica de Santos e Guarujá. Isso é essencial ser esclarecido à população", afirma. Casemiro Tércio afirma que um túnel localizado em uma área mais próxima à concentração demográfica permitirá atender 100% do fluxo de veículos. "A preferência por túnel submerso em ambientes portuários é consagrada mundialmente, visto que, onde se optou por ponte, tal infraestrutura revelou-se depois limitadora", finaliza. Em 2013, governo estadual divulgou detalhes do túnel submerso Divulgação/Governo do Estado
Veja Mais

26/06 - Deficiente intelectual desaparece após sair para recolher material reciclável em SP
Morador de Cubatão, Luciano José da Silva, de 47 anos, também sofre com problemas de saúde como pressão alta e diabetes. Deficiente intelectual desaparece após sair de casa para recolher material reciclável em Cubatão, SP Arquivo Pessoal A Polícia Civil investiga o desaparecimento de Luciano José da Silva, de 47 anos, morador de Cubatão, no litoral de São Paulo. De acordo com a família, ele está desaparecido desde o sábado (22) e possui deficiência intelectual. De acordo com José Manoel da Silva, pai de Luciano, o filho saiu de casa para recolher material durante a tarde do dia em que desapareceu. "Ele sempre avisa eu e a mãe dele para onde vai e a hora que vai voltar, mas até agora nada". Luciano mora com a mãe em uma casa no bairro Cota 200, em Cubatão. Após o desaparecimento, Manoel conta que percorreu cidades como Cubatão, Santos e Praia Grande em busca do filho. "Até no IML de Santos e Praia Grande eu fui atrás dele. Ele nunca faz isso. Não aguento mais esse desespero". Além de possuir deficiência intelectual, Luciano também apresenta problemas de saúde como pressão alta e diabetes, tendo que ser medicado diariamente, segundo o pai. "Ele tem diabetes e precisa tomar os remédios todos os dias, não pode ficar sem tomar. A gente só quer encontrar ele e levar para casa". O caso foi registrado na Delegacia Sede de Cubatão na última segunda-feira (23) e está sendo investigado pela Polícia Civil.
Veja Mais